Presidente Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça Serio Moro
O Antagonista
Presidente Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça Serio Moro


A soltura de Lula (PT) em novembro de 2019, após 580 dias de prisão, foi motivo de comemoração por parte do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), segundo revelou o presidenciável Sergio Moro (Podemos) em entrevista à Jovem Pan Paraná nesta quinta-feira (2).

Segundo Moro, Bolsonaro "não fez nada" para reverter a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) quando a prisão em segunda instância foi revogada.

"Na verdade, o que a gente sabia é que o Planalto, o presidente comemorou quando o Lula foi solto em 2019 porque ele entendia que aquilo beneficiava ele literalmente. Então, ele não trabalhou para manter a execução em segunda instância", afirmou o ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro.

Moro permaneceu no governo Bolsonaro até abril de 2020, cerca de 5 meses após a revogação da prisão do petista. O ex-juíz da Lava Jato  decidiu deixar o Planalto após alegar que Bolsonaro interferiu na Polícia Federal. Após  decidir se lançar pré-candidato à presidência, o ex-ministro decidiu intensificar as revelações a respeito de condutas do Planalto.



O portal iG entrou em contato com a assessoria da Presidência, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários