null
Reprodução iG Minas Gerais
undefined

Mesmo com o Brasil próximo de bater 600 mil vidas perdidas pela Covid-19 , o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mantém o discurso de que não errou "em nada" do que diz respeito às medidas de combate à pandemia. Em entrevista à revista  Veja, o chefe do Executivo criticou a CPI, defendeu novamente medicamentos comprovadamente ineficazes para o tratamento do Sars-Cov-2 e elogiou o próprio governo no âmbito do combate ao vírus.

"Não errei em nada. Fui muito criticado quando falei que ficar trancado em casa não era a solução. Eu falava que haveria desemprego — e foi o que aconteceu. Outra consequência disso é a inflação que está aí. Hoje há estudos que mostram que quem mais caminha para o óbito por coronavírus é o obeso e quem está apavorado", disse o presidente, que ainda citou o auxílio emergencial como uma medida proposta pelo Executivo — mesmo o valor de R$ 600,00 tendo sido aprovado só após pressão do Congresso. A  extensão do benefício também foi decidido após pressão legislativa.

O mandatário também não deixou de lado a defesa da cloroquina —  medicamento que, segundo a ciência, não traz benefício ao tratamento do novo coronavírus e que pode ocasionar em graves efeitos colaterais.

"Continuo defendendo a cloroquina. Eu mesmo tomei quando fui infectado e fiquei bom. A hidroxicloroquina nunca matou ninguém. O militar na Amazônia usa sem recomendação médica. Ele vai para qualquer missão e coloca a caixinha no bolso. O civil também. Você nunca ouviu falar que na região Amazônica morre gente combatendo a malária por causa da hidroxicloroquina. Criou-se um tabu em cima disso."

CPI da Covid

A CPI da Covid , que investiga as ações do governo federal no combate à pandemia, foi alvo de críticas de Bolsonaro. Segundo Bolsonaro, a comissão, que se aproxima da apresentação do relatório final, não tem "credibilidade nenhuma".


"No auge da pandemia, esses caras [senadores que integram a CPI] ficaram em casa, de férias, em home office, cuidando da vida deles. E agora vêm acusar? Não engulo isso aí. A história vai mostrar que as medidas que tomamos, concreta, econômicas, ajudando estados e municípios com recursos, salvaram as pessoas", afirmou Bolsonaro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários