O vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro
Reprodução
O vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro

Dois ex-funcionários do gabinete de  Carlos Bolsonaro (Republicanos) informaram à Câmara Municipal do Rio de Janeiro, em 2001, que residiam em um apartamento que estava, à época, em nome do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Segundo informações reveladas pela repórter Juliana Dal Piva, do UOL, Marta Valle e Gilmar Marques, que trabalharam como assessores do "02", como Carlos é chamado, são parentes de Ana Cristiana Valle, segunda esposa do presidente, e na realidade moram em Minas Gerais há mais de 20 anos.

Os dois declararam à Câmara que moravam no apartamento 102 da rua Visconde de Itamarati, 142. O imóvel foi comprado por Bolsonaro em 1997, pago com um cheque de R$ 90 mil. Naquela época, o presidente ainda era casado com Rogéria Bolsonaro, mãe de Flávio, Carlos e Eduardo. Pouco tempo depois ele se mudou para o local com a nova esposa, Ana Cristina.

Marta é cunhada de Ana Cristina, e foi ocupou o cargo de 1º novembro de 2001 até 1º de março de 2009, quando foi exonerada. Ela, no entanto, sempre morou em Juiz de Fora, e chegou a admitir em entrevista à Revista Época que nunca trabalhou como assessora do vereador filho do presidente.

Gilmar é ex-cunhado de Ana Cristina Valle. Ele teve um relacionamento com Andrea, irmã de Ana Cristina. A nomeação no gabinete de Carlos Bolsonaro foi publicada em 1º março de 2001 - mesma data de Marta Valle -, e permaneceu até 1º de março de 2008. Nesse período, ele morou em Juiz de Fora, Silverânia e Rio Pomba, também em Minas Gerais, a 275 km da Câmara Municipal do Rio.

Os registros foram obtidos pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) a pedido do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) nas investigações que apuram a prática de rachadinhas e a nomeação de funcionários fantasmas nos gabinetes dos vereadores. Gilmar Marques, Marta, Andrea e André Valle entram no hall de investigados ao lado de outros ex-assessores do gabinete de Carlos. O TJ também quebrou o sigilo bancário e fiscal dos investigados.

Marta, Andrea, Gilmar e André já chegaram a informar à Câmara residir em outro imóvel que pertenceu a Bolsonaro - uma casa na Barra da Tijuca, comprada por Bolsonaro e Ana Cristina em 2002 por R$ 500 mil, segundo a Folha de S. Paulo. O imóvel ficou com o presidente após a separação de Ana Cristina, e foi vendido em 2009, por R$ 1,1 milhão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários