Jair Bolsonaro (sem partido)
Crédito: fotos públicas
Jair Bolsonaro (sem partido)

Nos próximos dias, o  presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participará da Assembleia Geral da ONU em Nova York . O mandatário fará um discurso representando o Brasil, assim como todo ano. No entanto, a informação oficial é que ele ainda não está vacinado contra a Covid-19.

Apesar da pressão da prefeitura de Nova York para que a  imunização dos chefes de Estado fosse exigida para a participação do evento, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, confirmou que essa não será uma condição.

A entidade vai oferecer imunizantes aos chefes de Estado e delegações que desejarem se vacinar, no entanto, a ONU é como se fosse um território internacional e não está sujeita às regras de nenhum país específico. Ou seja, ela não consegue barrar quem não estiver vacinado.

Dessa maneira, Bolsonaro não terá problemas em discursar na assembleia. A circulação por Nova York , porém, pode ficar mais complicada, já que a maior parte das atividades está restrita para quem apresentar o comprovante de vacinação. Ele é exigido em restaurantes e instituições culturais, por exemplo.

Além disso, o presidente terá que seguir as regras da cidade e usar máscara de proteção contra a Covid-19 em todos os lugares fechados.

Antes de entrar nos EUA, pessoas vindas do Brasil precisam passar duas semanas em um país neutro, como o México, antes de entrarem no território norte-americano. A regra, entretanto, não se aplica a chefes de Estado, apenas a cidadãos comuns. Bolsonaro poderá, então, voar do Brasil direto para Nova York.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários