Deputado federal Ricardo Barros
Divulgação/Agência Senado/Jefferson Rudy
Deputado federal Ricardo Barros

O deputado federal e líder do governo na Câmara, Ricardo Barro s (PP-PR), disse nesta sexta-feira (13), um dia após comparecer à CPI da Covid, que a comissão um "circo" que "precisa acabar". Segundo o parlamentar, a CPI visa "desgastar o presidente e o governo".

A sessão de ontem foi encerrada após discussão entre Barros e senadores da cúpula. O presidente Omar Aziz (PSD-AM) informou que Barros— apontado como um dos pivôs da compra da vacina Covaxin com irregularidades no contrato — terá de comparecer novamente ao Senado como convocado, e não mais como convidado.

"Vou quantas vezes quiserem, não tem problema, mas vou lá, vou sentar, e vou dar minha opinião para a CPI. O senador Omar Aziz disse que eu só posso dar minha opinião da porta pra fora, acho que ele não sabe o que são as prerrogativas de um parlamentar, tenho direito de dar minha opinião e eu estar lá como convidado, convocado, tanto faz, não perco meu direito da minha imunidade parlamentar. E vou falar o que eu penso essa CPI é um circo, e como circo precisa acabar", disse o parlamentar em entrevista concedida à CNN Brasil.

"Eles não têm nada até agora, ficaram aí 40 audiências e não conseguiram uma coisa consistente. Querem continuar com essa narrativa, eu não vou permitir, eu sou líder do governo, vou lá e defendo o governo", acrescentou.

Segundo senadores da CPI, Barros mentiu diversas vezes ao longo do depoimento. O parlamentar ainda acusou a comissão de "afastar" do Brasil empresas interessadas em vender vacinas. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários