Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em live que prometeu apresentar fraude das urnas, mas não cumpriu
Reprodução / YouTube
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em live que prometeu apresentar fraude das urnas, mas não cumpriu

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tomou duas medidas contra o presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira. Abriu um inquérito administrativo para apurar os ataques sem provas que ele vem fazendo ao sistema eletrônico de votação, e pediu que ele seja investigado também em um inquérito já aberto no Supremo Tribunal Federal (STF).

Na avaliação do TSE, na  "live" realizada na última quinta-feira em que prometeu apresentar provas de fraudes nas eleições, mas não fez, Bolsonaro teve "possível conduta criminosa". O presidente também vem ameaçando a realização das eleições caso o voto impresso não seja implementado.

Você viu?

No STF, a investigação ocorrerá no âmbito no  inquérito das "fake news", conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes no STF. Moraes também é integrante do TSE e foi quem fez a sugestão de pedir a investigação no STF na sessão desta segunda-feira, a primeira do semestre após o recesso de julho.

O inquérito administrativo foi aberto por sugestão do corregedor do TSE, o ministro Luis Felipe Salomão. Em junho, ele já havia determinado que Bolsonaro explicasse as acusações que fez contra as urnas eletrônicas. O prazo para resposta vence nesta segunda-feira, mas, até agora, Bolsonaro não se manifestou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários