Flordelis
Marcelo Theobald / Agência O Globo
Em entrevista, deputada voltou a afirmar que não tem qualquer envolvimento no caso

Acusada de ser a mentora do plano que culminou na  morte do pastor Anderson do Carmo dentro da casa da família em Pendotiba, Niterói, no mês de junho de 2019, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) , voltou a se defender das acusações, disse esperar que sua inocência seja provada nos próximos dias e garantiu que reencontrará o marido no céu.

"É uma injustiça, não é real. Eu não matei, não fiz isso que estão me acusando. Esse é o pior momento da minha vida. Eu não tenho que estar presa, eu não vou ser presa, tenho certeza que minha inocência será provada nos próximos dias", afirmou Flordelis , em trecho de entrevista ao repórter Roberto Cabrini divulgado pelo SBT. A íntegra irá ao ar na próxima segunda-feira (31).

Questionada sobre as informações recentes de que teria primeiro adotado o pastor Anderson como filho e que ele teria se relacionado com uma das irmãs antes de se tornar seu marido, a deputada disse que tudo não passa de mentira: "eu amo o meu marido até hoje, ele não me incomodava de forma nenhuma e eu ainda vou reencontrá-lo céu".

A pastora também esclareceu outros pontos do caso, como a autoria de mensagens encontradas em um celular na casa da família, e que falavam sobre os planos de execução, e até sobre o envolvimento de outro integrantes em todo o processo.

"As mensagens não foram mandadas por mim, pois eu jamais chamaria meu marido de traste. Eu quero que a Justiça descubra quem são os responsáveis e que o Ministério Público diga qual o motivo me levaria a matá-lo. Preciso saber quem o matou. Essa pessoa está desgraçando com a minha vida", finalizou  Flordelis .

    Veja Também

      Mostrar mais