homem e mulher de mãos dadas
Reprodução
Pastor Anderson do Carmo e Flordelis

Uma complexa trama se desenhou durante as investigações do assassinato do pastor Anderson do Carmo de Souza, marido da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD). Nesta segunda-feira (24), os policiais apontaram a viúva como mandante do assassinato a tiros , ocorrido em junho do ano passado, e o envolvimento de mais quatro dos 55 filhos do casal. O crime inicialmente um suposto assalto na casa da família em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, se mostrou um desenrolar envolvendo suspeitas de traição, briga por dinheiro, suspeita de envenenamento, destruição de provas e mais elementos até a ação desta segunda para o cumprimento de 11 mandatos.

Entre os destaques estão as contradições de Flordelis nos depoimentos. Ao longo das investigações, que ultrapassaram um ano, os filhos do casal que foram ouvidos também mudaram versões sobre o caso e apontavam sobre o envolvimento da deputada com o assassinato do pastor Anderson do Carmo. Sendo eles:

Harmonia na casa

Versão de Flordelis - “Nós estávamos em um momento de harmonia na nossa casa. Estávamos vivendo um momento muito bom na nossa família, no nosso lar”, afirmou a pastora durante a coletiva para jornalistas.

Contestação - Segundo os depoimentos dados à polícia, além de Marzy, Flordelis ficou sabendo ainda que outra filha, Simone, também queria matar Anderson, que era seu padrasto. Lucas também afirmou aos policiais ter mostrado a Flordelis uma mensagem que recebeu do celular da própria mãe pedindo que ele matasse o pastor. Filhos também contam, em depoimento, que a pastora vinha tentando envenenar Anderson com remédios colocados em sua comida.

Plano para matar o pastor

Versão de Flordelis - “Essa proposta eu estou sabendo aqui, neste exato momento. Isso eu estou ouvindo aqui”, afirmou Flordelis, em entrevista à imprensa no dia 25 de junho, ao ser questionada sobre um dos filhos dela ter recebido proposta para matar Anderson.

Contestação - Marzy, filha afetiva de Flordelis, confessou à polícia ter pedido a um dos irmãos, Lucas, para matar Anderson em troca de R$ 10 mil. Ela disse, ainda, ter contado à mãe sobre o plano.

Desavenças por dinheiro

Versão de Flordelis - “Briga por dinheiro, não. Por outros detalhes, sim”, disse a deputada, durante entrevista à imprensa, ao ser perguntada sobre desavenças na casa.

Contestação - O Ministério Público, na denúncia contra os dois filhos de Flordelis – Lucas e Flávio –, afirma que uma das motivações para o crime foi o “descontentamento com a forma como a vítima controlava as finanças” da casa. O próprio Flávio afirmou, em depoimento, desconfiar que Anderson estava dando “volta financeira” na mãe. Misael também deu um depoimento no mesmo sentido e afirmou que a mãe estava descontente com a questão financeira e achando que Anderson estava “dando a volta nela”.

    Veja Também

      Mostrar mais