Tamanho do texto

Em entrevista, pastor Luan Santos revelou motivos que o levaram a deixar a casa da mãe e afirmou que os irmãos presos "não estavam em comunhão"

Família Flordelis arrow-options
Reprodução
Em entrevista, pastor explicou motivos para deixar casa de Flordelis após morte do pai

Um mês e três dias após a morte de Anderson do Carmo Souza, um dos filhos adotivos do pastor com a deputada federal Flordelis dos Santos Souza (PSC), o também pastor Luan Santos , quebrou o silêncio e falou com exclusividade à reportagem do Dia sobre o caso.

Leia também: Bolsonaro prioriza em viagens cidades onde venceu nas eleições de 2018

Três filhos de Flordelis e Anderson — um biológico e dois adotivos — fizeram uma manifestação na manhã deste domingo (21) para cobrar justiça pela morte do pai. Em entrevista por telefone, Luan afirmou que "não aceita o que fizeram" e que "não iria compactuar com essa atrocidade".

"Não vejo a hora de a justiça ser feita para que a justiça prevaleça. Eu não acredito na atrocidade que fizeram e por isso saí do ministério", se indignou Luan. "Não vou compactuar com essa atrocidade", salientou.

Ao ser questionado sobre os  irmãos Flávio dos Santos Rodrigues, 38, e Lucas Cézar dos Santos de Souza, 18, que estão presos há mais de um mês acusados de matarem o pai, Luan disse que ambos "eram aquém e não estavam em comunhão".

Filhos fazem protesto

Três dos 55 filhos de Flordelis e Anderson organizaram uma homenagem para o pastor neste domingo (21). O ato aconteceu por volta das 10h, no bairro Laranjal, em São Gonçalo, em frente ao local onde estava sendo construída uma nova igreja do Ministério Flordelis, criado por Anderson e a deputada.

Em grupos de WhatsApp ligados ao Ministério Flordelis, do qual Daniel, Misael e Luan foram excluídos, outros filhos e funcionários da parlamentar criticaram o ato e afirmaram que o manifesto não tem ligação com a pastora e nem com a igreja. "Essa movimentação não está sob nossa responsabilidade", dizia texto replicado nos grupos.

A mãe de Anderson e Michele do Carmo dos Santos, irmã do pastor, também participaram do protesto e pediram por justiça. Maria Edna Virgínia , inclusive, afirmou que a parlamentar não a procura desde a morte do filho: "Também, nem quero que ela me procure".

Filhos rompem com mãe

Após o crime, o músico Daniel dos Santos de Souza, 21, único filho biológico de Flordelis com Anderson, e os pastores Luan Santos e Wagner de Andrade Pimenta, o vereador Misael da Flordelis (MDB), ambos filhos adotivos, romperam com a mãe.

Leia também: O que muda com a reforma: pedágio pode dobrar tempo que resta para aposentar

Os filhos adotivos do casal foram os primeiros a deixar de conviver com a parlamentar após o crime. Eles também deixaram o Ministério Flordelis , igreja criada pela deputada e Anderson. Ao todo, Flordelis tem 55 filhos, quatro são biológicos.