Tamanho do texto

Ex-ministro do governo Michel Temer desbancou Marco Feliciano, que era cotado para cargo; 17º nome do novo governo, emedebista renova promessa da campanha de Bolsonaro e garante décimo terceiro no Bolsa Família

Osmar Terra atuou no governo Michel Temer como ministro do Desenvolvimento Social
Wilson Dias/Agência Brasil - 7.11.2016
Osmar Terra atuou no governo Michel Temer como ministro do Desenvolvimento Social

A equipe do governo de transição confirmou na tarde desta quarta-feira (28) o nome de Osmar Terra (MDB) para comandar o Ministério da Cidadania no governo de Jair Bolsonaro (PSL). Trata-se do 17º ministro do futuro governo – e do primeiro nome do MDB na equipe do novo presidente.

Osmar Terra  chefiou o Ministério do Desenvolvimento Social no governo Michel Temer (MDB) e atualmente estava no fim de seu quinto mandato como deputado federal. Sua confirmação na nova equipe de governo contraria interesses da  bancada evangélica na Câmara, que indicou o nome do pastor Marco Feliciano (Podemos-SP) para a pasta da Cidadania.

O recém-criado Ministério da Cidadania  vai absorver as atribuições dos ministérios do Desenvolvimento Social, dos Esportes e da Cultura, além da Secretaria Nacional de Política sobre Drogas (Senad), vinculada atualmente ao Ministério da Justiça. A nova pasta será responsável por programas como o Bolsa Família e o Criança Feliz (que tem como embaixadora a atual primeira-dama, Marcela Temer).

O novo ministro disse que designará um secretário para cada área de sua nova pasta e explicou que não terá poder sobre ações para direitos humanos e para políticas para mulheres – áreas que devem ficar sob o leque de outro ministério ou secretaria. "O ministério vai se integrar melhor com outros programas. Vamos trabalhar bastante e procurar focar bastante na população mais vulnerável", disse Terra.

Osmar garantiu que sua nomeação para o governo Bolsonaro  não teve influência da bancada do MDB. "As frentes parlamentares da assistência social, das pessoas com doenças raras, da primeira infância, dos deficientes, dos idosos... Se juntaram todas as frentes que têm a ver com essa área e deram respaldo", disse.

O novo ministro reafirmou promessa de campanha de  Bolsonaro para pagar 13º para os beneficiários do Bolsa Família . "O presidente pediu isso e vai ser cumprido. Até com esse ajuste que se fez, de cortar aqueles que não precisavam do programa, é mais fácil conseguir recurso para o décimo terceiro", afirmou.

Terra também disse que espera contar com a futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, para atuar em projetos sociais, conforme ela própria já disse ter interesse em fazer . "Ela já tem um trabalho importante na área de crianças com deficiência auditiva. E, com certeza, ela vai colaborar. A primeira-dama tem um valor muito simbólico", disse Osmar.

O anúncio de Osmar Terra se dá momentos após a  confirmação de Gustavo Canuto como ministro do Desenvolvimento Regional (que reunirá atribuições das atuais pastas da Cidades e dos Transportes). Minutos mais tarde, foi anunciado também o nome de Marcelo Álvaro Antonio para o Ministério do Turismo . Com os novos anúncios, a equipe do futuro governo já conta com 18 ministros confirmados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.