Ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, e presidente russo, Vladimir Putin
Gabinete de Imprensa e Informação Presidencial/Kremlin - 24.03.2022
Ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, e presidente russo, Vladimir Putin

O ministro da Defesa russo , Sergei Shoigu, disse nesta sexta-feira que os pedidos da Finlândia e da Suécia para ingressar na Otan (aliança militar liderada pelos EUA) fazem parte de um aumento nas ameaças militares perto das fronteiras ocidentais da Rússia, anunciando que o país criará novas bases militares em sua região Oeste como uma das "contramedidas adequadas" em resposta à expansão da aliança.

“Até o final do ano, 12 unidades e divisões militares serão estabelecidas no Distrito Militar Ocidental", disse Shoigu, acrescentando que o país trabalha para melhorar a força de combate de suas tropas.

O Exército espera receber mais de 2.000 unidades de equipamentos e armas militares, acrescentou Shoigu.

Shoigu também disse que os Estados Unidos intensificaram os voos estratégicos de bombardeiros nos últimos anos, enviaram navios de guerra para o Mar Báltico e intensificaram os exercícios de treinamento na região com seus parceiros da Otan.

“A tensão continua a crescer na zona de responsabilidade do Distrito Militar Ocidental. Estamos tomando as contramedidas adequadas", disse Shoigu.

A Finlândia e a Suécia solicitaram formalmente a adesão à Otan na quarta, mas enfrentam oposição da Turquia — é necessário o apoio de todos os membros da aliança para que um novo seja aceito.


Na segunda, o presidente Vladimir Putin disse, em aparente recuo, que a adesão da Suécia e da Finlândia à Otan não representa uma ameaça para a Rússia, mas alertou que Moscou responderia se a aliança aumentasse a infraestrutura militar nos dois países.

Também nesta sexta, a Finlândia informou que foi notificada pela Gazprom, a gigante de energia russa, que o fornecimento de gás será interrompido neste sábado, um mês após a mesma medida ser adotada contra Polônia e Bulgária, porque os país se negam a pagar pelo gás em rublos, uma exigência de Moscou.

O corte de gás para a Finlândia se seguirá à suspensão no fornecimento de eletricidade, em 14 de maio, algo visto como retaliação ao plano finlandês de entrar na aliança militar liderada pelos EUA.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

*Com informações de agências internacionais

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários