Rússia e Ucrânia adiam negociações na Turquia
Reprodução - 14.03.2022
Rússia e Ucrânia adiam negociações na Turquia

O início da nova rodada de negociações entre Rússia e  Ucrânia em Istambul, na Turquia, foi adiado em um dia por conta de problemas logísticos.

As conversas estavam previstas para começar nesta segunda-feira (28), mas, de acordo com um integrante da delegação ucraniana, David Arahamiya, devem iniciar apenas às 10h (4h em Brasília) desta terça (29).

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, também disse que as negociações ocorrerão nos dias 29 e 30.

Os ministros das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e da Ucrânia, Dmytro Kuleba, já se reuniram na cidade turca de Antália em 10 de março, mas o encontro não produziu resultados práticos.

As delegações também chegaram a fazer conversas presenciais em Belarus, cujo regime é aliado de Moscou, mas, nas últimas semanas, as negociações vêm sendo realizadas por meio de videoconferência.

Alguns países tentam intermediar um encontro entre os presidentes Vladimir Putin e Volodymyr Zelensky, porém Lavrov disse nesta segunda-feira que isso seria "contraproducente" no momento. O ministro ainda cogitou a hipótese de levar as negociações para Belgrado, na Sérvia, uma histórica aliada de Moscou.

Leia Também

Para interromper a invasão à Ucrânia, a Rússia exige a desmilitarização do país, seu compromisso de não ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e o reconhecimento da anexação da Crimeia e da autonomia do Donbass.

A Ucrânia, no entanto, cobra garantias de segurança por parte de potências internacionais em troca da não adesão à Otan e defende a integridade de seu território.

Ataques

A perspectiva de uma nova rodada de negociações não diminuiu a intensidade dos conflitos na Ucrânia, e a região de Kiev foi atingida por bombardeios e disparos de artilharia mais de 40 vezes desde o último domingo (27). Em Kharkiv, o número de alvos atacados em 24 horas passou de 200.

"Novamente, ataque total de mísseis contra a Ucrânia. Lutsk, Kharkiv, Zhytomyr, Rivne. Todos os dias mais e mais foguetes. Mariupol sob bombardeio. A Rússia não tem mais linguagem, humanismo, civilização. Apenas foguetes, bombas e a tentativa de varrer a Ucrânia da face da Terra. A Europa gosta mesmo disso?", escreveu no Twitter Mikhailo Podolyak, assessor de Zelensky.

Por razões de segurança, não haverá nenhum corredor humanitário para evacuação de civis nesta segunda-feira.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários