Julian Assange, fundador do WikiLeaks, vai se casar na prisão
Reprodução
Julian Assange, fundador do WikiLeaks, vai se casar na prisão

Julian Assange, fundador do WikiLeaks,  vai se casar com Stella Moris na prisão, nesta quarta-feira. Ele e a advogada se conheceram há dez anos, quando ela começou a trabalhar para a organização. O casal tem dois filhos juntos, nascidos enquanto Assange vivia confinado na embaixada do Equador em Londres. O ativista está preso na capital da Inglaterra desde 2019.

"Julian Assange e Stella Moris vão se casar na prisão Belmarsh cercados por apenas amigos e familiares na quarta-feira. O noivado foi anunciado em novembro de 2021 e ao longo de meses de idas e vindas (de negociações) com o governo e as autoridades de administração penitenciária, eles receberam permissão para casar dentro da prisão", informou o comunicado divulgado pelo WikiLeaks nesta terça-feira.

Em entrevista ao Daily Mail, Stella disse que será revistada repetidas vezes antes de encontrar o companheiro e que os filhos vão participar da cerimônia civil com a bênção de um capelão católico.

"Não é o casamento que teríamos planejado... em uma igreja no mundo exterior, cercados por familiares e amigos, mas estamos escolhendo assumir o controle de nossas vidas. Estamos fazendo isso por amor, um pelo outro, por nossos filhos e porque a vida de Julian já foi suspensa por tempo suficiente, roubando-lhe anos com sua família. Isso é inaceitável", ressaltou.

Assange, de 50 anos, enfrenta nos Estados Unidos 18 acusações que envolvem conspiração para obter e divulgar, entre 2010 e 2011, mais de 250 mil telegramas diplomáticos e cerca de 500 mil documentos confidenciais sobre as atividades militares americanas no Iraque e no Afeganistão durante a chamada "guerra ao terror".  O caso pode render até 175 anos de prisão ao ativista e põe em questão a liberdade de imprensa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários