O ministro italiano, Luigi Di Maio, apresentou a ideia durante uma reunião virtual do G7
Reprodução
O ministro italiano, Luigi Di Maio, apresentou a ideia durante uma reunião virtual do G7

A Itália quer convocar uma cúpula de líderes do G20 para discutir o  retorno do grupo fundamentalista Talibã ao poder no Afeganistão.

Segundo informações de bastidores, o ministro italiano das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, apresentou a ideia durante uma reunião virtual entre chanceleres do G7 sobre a crise afegã nesta quinta-feira (19).

"A Itália, como presidente do G20 [em 2021] e em estreita coordenação com o G7, planeja convocar uma reunião ad hoc de líderes para promover uma discussão aprofundada entre os membros sobre o Afeganistão ", disse Di Maio no G7.

De acordo com o ministro, levar o debate para o âmbito do G20 seria uma forma de incluir China, Rússia e Turquia, sendo que os dois primeiros já ensaiam uma aproximação com o  Talibã para preencher o vácuo criado pela  retirada dos EUA e da Otan.

A Itália vai sediar a cúpula anual dos líderes do G20 em 30 e 31 de outubro, em Roma. Além do país anfitrião, o grupo inclui África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, EUA, França, Índia, Indonésia, Japão, México, Reino Unido, Rússia, Turquia e União Europeia.

"É importante agir de maneira coordenada em relação aos talibãs. Devemos julgá-los por suas ações, não por suas palavras. Precisamos manter uma posição firme sobre o respeito aos direitos humanos e das liberdades", acrescentou Di Maio na reunião desta quinta.

Segundo o ministro, a Itália já evacuou mais de 500 civis afegãos nesta semana e planeja remover outros 2,5 mil nos próximos dias. O país também doou 250 mil euros (cerca de R$ 1,6 milhão) para o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários