Tamanho do texto

Presidente dos Estados Unidos é investigado por suspeita de abuso de poder; em comício, Biden disse que Trump havia "traído a nação"

Joe Biden arrow-options
Reprodução/Instagram Joe Biden
Joe Biden é o favorito para conseguir a indicação democrata para as eleições presidenciais

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos e pré-candidato democrata nas eleições de 2020, Joe Biden, se manifestou, pela primeira vez, nesta quarta-feira (9) a favor do processo de impeachment contra seu rival, o presidente Donald Trump. Durante comício, Biden disse que o republicano havia "traído a nação".

Leia também: Entenda como as mensagens entre diplomatas podem derrubar Trump

"Para proteger nossa Constituição, nossa democracia, nossos princípios fundamentais, [Trump] deve ser objeto de um processo de destituição", afirmou em New Hampshire. O ex-vice de Barack Obama ainda disse que o republicano "pisoteia na Constituição e não podemos deixá-lo escapar com isso", principalmente porque ele "não vê limites aos seus poderes". "Um procedimento de destituição não se trata somente do que o presidente fez, mas também da ameaça que ele representa ao país se lhe é permitido permanecer no cargo", acrescentou Biden.

Após o comício, o pré-candidato também se manifestou em suas redes sociais apoiando o impeachment. Segundo Biden , é necessário que Trump seja responsabilizado.

Joe Biden em comício em quem apoiou impeachment arrow-options
Reprodução/Instagram Joe Biden
Joe Biden apoiou o impeachment durante um comício em New Hampshire

O processo de impeachment aberto contra o republicano é baseado em um telefonema no qual Trump pede para o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, investigar um caso relacionado ao pré-candidato democrata à Presidência dos EUA e cujo filho, Hunter Biden, era conselheiro de uma empresa de gás na Ucrânia.  A suspeita é de que Trump tenha usado o poder do cargo para fazer um país estrangeiro prejudicar um adversário político interno.

Na terça-feira (8), em carta de oito páginas enviada à presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, a Casa Branca afirmou que não vai cooperar com um inquérito "sem base, inconstitucional" e "ilegítimo" de impeachment contra Trump.

Além disso, o Departamento de Estado já havia  se recusado a fornecer documentos aos deputados e barrado funcionários de prestarem depoimento perante os comitês da Câmara de Representantes. "Ao obstruir a Justiça, se recusando a atender a pedidos do inquérito do Congresso, ele condenou a si mesmo", finalizou Joe Biden sobre o processo de impeachment .

    Leia tudo sobre: impeachment