Tamanho do texto

Enem também teve o menor número de irregularidades registradas na história e apenas dois locais com necessidade de reaplicação da prova. Veja

Taxa de abstenção do Enem 2018 é a menor dos últimos anos. Número de candidatos eliminados também foi o mais baixo
Reprodução
Taxa de abstenção do Enem 2018 é a menor dos últimos anos. Número de candidatos eliminados também foi o mais baixo

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 teve a menor taxa de abstenção desde 2009. Esse é o principal destaque do balanço final realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) do primeiro dia de provas do exame. No total, 24,9%, o que representa cerca de 1,4 milhão de estudantes, dos inscritos não compareceram aos locais de provas (ou não conseguiram chegar a tempo).

Leia também: Primeiro dia de Enem traz questões sobre racismo, feminicídio e direitos humanos

A taxa de abstenção do Enem 2018 mais baixa do que nas edições anteriores é um dado importante e mostra que a comunicação do Exame foi efetiva e bem sucedidade já que a data deste primeiro dia de prova  coincidiu com o adiantamento do relógio em dez estados do Brasil e no Distrito Federal em uma hora por conta do início Horário Brasileiro de Verão.

A coincidência chegou a ser alvo de um pedido do Ministério da Educação (MEC) para que o presidente Michel Temer adiasse novamente a data do início do Horário Brasileiro de Verão que já havia sido modificada por conta da coincidência com um evento ainda maior do que o próprio Enem: o segundo turno das eleições 2018. Temer chegou a anunciar que atenderia o pedido, mas depois voltou atrás e, felizmente, os números divulgados hoje mostram que os candidatos não foram prejudicados.

Até então a menor porcentagem de ausentes tinha sido registrada em 2011, quando 26,4% dos inscritos não fizeram a prova. De acordo com o ministro da Educação, Rossieli Soares, o número final de faltantes será divulgado no segundo dia do exame, 11 de novembro. Ele fez questão de ressaltar que o índice oficial deve cair ainda mais porque, segundo os critérios do ministério, só é considerado ausente o candidato que não compareceu nos dois dias de prova.

Para Soares, a redução das faltas se deve, entre outros motivos, pela mudança nas regras do exame, sendo a principal dela a mudança no critério de isenção da taxa de inscrição do Exame. O ministro explicou que os estudantes isentos que faltarem terão que apresentar uma justificativa pela ausência caso reivindiquem a isenção novamente nos anos seguirente.

Além disso, ainda segundo Rossieli Soares, contribuiu o fato das provas serem realizadas em dois domingos de finais de semanas distintos e não mais em um sábado e um domingo do mesmo final de semana. "Importante termos esse resultado. Avançarmos na questão dos ausentes", destacou o ministro que afirmou ainda que na avalaição dele "a logística funcionou e está funcionando maravilhosamente bem".

A presidente do Inep, Maria Inês Fini, também destacou que, do total de inscritos, 10,55% não tinham acessado o cartão de confirmação do Enem até a data de hoje (4) e, portanto, não teriam como saber o local de prova. Isso equivale a 581.892 participantes o que, na avaliação do Inep, é um índice pequeno.

Leia também: "Atrasados do Enem" bomba na internet, mas decepciona usuários

Nesta primeira data, os estudantes que se inscreveram e compareceram fizeram provas de linguagem, ciências humanas e  a redação que teve como tema a "Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet". O exame segue no dia 11 de novembro, quando os estudantes farão provas de ciências da natureza e matemática.

O gabarito oficial será divulgado em 14 de novembro, juntamente com os Cadernos de Questões, no  Site do Enem e no Aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio. Já o resultado das avaliações dos alunos deverá ser divulgado no dia 18 de janeiro de 2019, pouco antes do Sistema de Seleção Unificado (Sisu) abrir as inscrições com base na nota do Enem para a inscrição de candidatos em universidades federais de todo o País.

Assim com taxa de abstenção, número de elimiandos também caiu

O ministro da Educação, Rossieli Soares, fez avaliação do primeiro dia do Enem 2018 e diz que logística funcionou bem e que taxa de abstenção foi a mais baixa desde 2009
Valter Campanato/Agência Brasil
O ministro da Educação, Rossieli Soares, fez avaliação do primeiro dia do Enem 2018 e diz que logística funcionou bem e que taxa de abstenção foi a mais baixa desde 2009

O Inep e o MEC divulgaram ainda que 71 candidatos foram eliminados do primeiro dia de provas do Enem. O número é pouco menor do que a metade do registrado no ano passado e representa um índice de casos muito baixos diante do total de 5,5 milhões de estudantes inscritos nesta edição. Segundo o ministro Rossieli Soares, a "média [geral de casos] era de 150 aproximadamente [nos últimos anos]", afirmou.

Leia também: Manipulação de usuários na internet é tema da redação do Enem 2018

Entre os casos registrados este ano, os dois mais graves foram registrados no mesmo local de avaliação em Montes Claros (MG) onde dois candidatos eliminados foram encontrados usando ponto eletrônico e acabaram sendo presos em flagrante. O ministro e a presidente do Inep confirmaram que ambos foram detectados em inspeções de rotina, mas que a equipe de segurança já rastreava grupos de criminosos que buscavam fraudar o Exame.

Os candidatos eliminados eram irmãos gêmeros e, além dos pontos eletrônicos, foram flagrados na mesma sala logo no início da aplicação das provas, por volta das 13h30, utilizando aparelhos celulares, fones de ouvido e documentos de identidade falsos. O caso foi registrado na Escola Estadual Armênio Veloso, no Baiorro de Lourdes, em Montes Claros (MG).

De acordo com a Polícia Militar (PM), ele foram encaminhados à Polícia Federal (PF) no fim da tarde, após registrado o boletim de ocorrência. Já a PF afirmou que ambos foram presos em flagrante e responderão pelo crime previsto no artigo 311-A, inciso III do Código Penal [fraude em certame público], que prevê pena de 1 a 4 anos de prisão.

Ambos foram conduzidos para uma unidade prisional, onde vão aguardar audiência de custódia para ter as prisões em flagrante eventualmente convertidas em prisões preventivas ou ter a fiança estabelecida e aguardar o julgamento em liberdade. O Inep também informou que eles, obviamente, foram eliminado do Enem e que a circunstância não chegou a prejudicar outros candidatos que estavam realizando a prova no mesmo local de avaliação.

Além deles, outros dois candidatos foram eliminados por se recusarem a passar pelo detector de metais, mas a grande maioria, 67 casos, dos eliminados foram agrupados em "causas diversas" que reunem causas várias formas de descumprimento das regras do edital, como ausentar-se antes do horário permitido, não atender orientações dos fiscais, entre outras.

Fora disso, em dois locais, a prova do primeiro dia do Enem chegou a ser interrompida por falta de energia elétrica: em Franca (SP) e em Porto Nacional (TO). Os estudantes prejudicados nesses dois locais terão direito de refazer a prova na data reservada pelo Inep para eventualidades como esse nos dias 11 e 12 de dezembro.

O ministro da Educação, no entanto, ressaltou que os candidatos prejudicado neste domingo devem comparecer normalmente o local de prova no próximo domingo, 11 de novembro, para realizar a segunda prova, pois só terão direito a refazer a prova do primeiro dia na data remarcada.

Mesmo nesse dois únicos locais de avaliação, porém, o ministro destacou que muitos candidatos conseguiram finalizar a prova já que a falta de energia só ocorreu já na próximo do tempo máximo de realização do Exame.

Neste ano, a aplicação do Enem contou com cinco vezes mais detectores de metais. Todos os banheiros passaram a contar com detectores e todas as medidas de segurança da edição passada foram mantidas.

A edição 2018 do Enem também contou, pela primeira vez, com o monitoramento no Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), além dos Centros Integrados de Comando e Controle Regionais (CICCRs), distribuídos por todas as unidades da Federação e com representantes de todas as forças de segurança envolvidas na aplicação.

Por fim, os candidatos que se sentirem lesados por qualquer intercorrência que eventualmente os tenha atrapalhado ou quiserem realizar algum tipo de denúncia que diga respeito a qualquer irregularidade no Enem poderão utilizar a  Página do Participante para fazer as reclamações e denúncias cabíveis. Os participantes podem também entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800-616161. 

Os alunos também poderão usar o canal para denunciar fake news, informações desencontradas ou duvidosas que serão prontamente investigadas. Mais cedo, o próprio ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, admitiu que, se apresentada denúncia, a própria  Polícia Federal (PF) poderia realizar a investigação como a da origem do boato de que o Enem teria sido cancelado nas regiões Norte e Nordeste por conta de uma descoberta de fraude.

Leia também: Polícia Federal poderá investigar boato sobre cancelamento do Enem

A informação errada foi prontamente negada pelo Inep e a presidente Maria Inês Fini declarou que acredita "sinceramente" que nenhum candidato tenha sido prejudicado por qualquer tipo de informação falsa, essa, no entanto, pode ter sido uma das explicações para que a taxa de abstenção do Exame não tenha diminuído ainda mais este ano.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.