Tamanho do texto

Ministro da Segurança Pública afirmou que se houver denúncia, PF poderá apurar boato que prejudicou estudantes em várias regiões do País. Confira

Boato sobre cancelamento do Enem poderá ser investigado pela Polícia Federal, diz ministro da Segurança Pública
shutterstock
Boato sobre cancelamento do Enem poderá ser investigado pela Polícia Federal, diz ministro da Segurança Pública

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou neste domingo (4) que a Polícia Federal (PF) poderá investigar a disseminação de um boato sobre cancelamento do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) por suspeita de fraude que se espalhou em várias regiões do País e prejudicou muitos estudantes que se preparavam apra realizar a prova.

Leia também: Mais de 5,5 milhões de brasileiros farão a prova do Enem, que começa hoje

Jungmann explicou que para a PF entrar no caso, basta que haja apresentação de uma denúncia. "Se houver a reclamação, sim [a PF investigará]. Não podemos fazer a reclamação de ofício. É preciso que aquele que se sentir atingido, faça a solicitação à polícia ou à Justiça e aí as providências serão tomadas." O ministro se referia a um boato de cancelamento do Enem que chegou a se espalhar, sobretudo, na região Norte e Nordeste do País.

Segundo uma nota divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), circula nas redes sociais uma imagem falsa, simulando uma notícia do portal de notícias G1 , informando que as provas do Enem 2018 foram canceladas após suspeitas de fraudes nas regiões Norte e Nordeste. O instituto, porém, já desmentiu o boato.

De acordo com o ministro, não há anonimato em redes sociais. “Não cometam irresponsabilidades em rede social. Porque se cometer e isso for um crime, não tenha dúvida que vamos achar quem cometeu isso. Não há impunidade”.

Leia também: "Atrasados do Enem" bomba na internet, mas decepciona usuários

Balanço preliminar além do boato de cancelamento do Enem

Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que Polícia Federal poderá apurar boato de cancelamento do Enem se houver denúncia de alguém que se sentiu prejudicado
Isaac Amorim/MESP
Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que Polícia Federal poderá apurar boato de cancelamento do Enem se houver denúncia de alguém que se sentiu prejudicado

O ministro da Segurança Pública conversou com a imprensa após reunir-se com o presidente Michel Temer, o ministro da Educação, Rossieli Soares; e a presidente do Inep, Maria Inês Fini. Segundo Jungmann, não foram registrados problemas na realização do exame até a divulgação do balanço, por volta das 14h30. “Alguns lugares com falta de energia e problemas de água, em decorrência da chuva. Em todo o País, o Enem transcorre com a mais absoluta tranquilidade e segurança e espero que assim seja”.

As provas estão sendo realizadas em 10.718 locais de aplicação, em 1.725 municípios, para mais de 5,5 milhões de estudantes .

Leia também: Manipulação de usuários na internet é tema da redação do Enem 2018

Temer falou rapidamente com a imprensa após a reunião e parabenizou os organizadores pelo tema da redação, mas não mencionou o boato sobre cancelamento do Enem . “Até o momento em que se deu o início dos trabalhos absolutamente nenhuma falha. Cumprimentei os organizadores pelo título da prova [redação]. Trata das notícias falsas, é um tema atualíssimo”, disse Temer. O  tema da redação do Enem deste ano é “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.