Grupo faz ato em Copacabana e pede respostas em investigação
Domingos Peixoto/RJ - 12.06.2022
Grupo faz ato em Copacabana e pede respostas em investigação

O assessor jurídico da Unijava, Eliésio Marubo, afirmou na tarde desta segunda-feira (13) que a advogada da família do indigenista Bruno Pereira, desparecido junto com o jornalista inglês Dom Phillips , tem sido impedida de acompanhar a investigação do caso pelas autoridades policiais.

“Queria fazer uma convocatória para a OAB porque a advogada da família, a doutora Carolina Santana, tem sido impedida na realização do seu trabalho. A sua prerrogativa tem sido cassada por parte da autoridade policial, sobretudo da Polícia Federal, que não tem concedido em favor da família do nosso amigo Bruno o acesso à toda a informação que tem sido coletada”, disse o advogado representante da ONG.

O representante da Univaja afirmou ainda que não foram encontradas vísceras, mas um material genético que, a pedido das autoridades policiais, ele não poderia revelar exatamente o que era. Esse material foi coletado e enviado para Brasília para ser periciado.

“Acredito que é possível encontrá-los com vivo. Bruno Pereira já caminhou no mato conosco durante muito tempo. Só vamos desacreditar quando encontrarmos indícios disso”, afirmou Marubo, que acredita estar perto do fim das buscas.”

“Nosso efetivo tem aumentado com mais indígenas se voluntariando. Conhecemos muito bem a região e estamos reduzindo a área cada vez mais.”

A Polícia federal informou na noite desta segunda-feira que não encontrou qualquer novo indício sobre o desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, desaparecidos na região do Vale do Javari há oito dias. No domingo, o Corpo de Bombeiros do Amazonas havia encontrado uma mochila e um par de sandálias na área de busca.

Segundo a nota, sobre "o material orgânico aparentemente humano e as amostras de sangue anteriormente coletados", a entidade informou que "a perícia está sendo realizada e o resultado deverá sair no decorrer dessa semana". 


Ainda na nota, a entidade informou que, "além dos esforços concentrados no referido local, as buscas continuaram em outras áreas do Rio Itaquaí".

O desaparecimento da dupla foi alertado pela Univaja na segunda-feira, dia 6. O Vale do Javari é a região com a maior concentração de povos indígenas isolados do mundo. 

Uma testemunha-chave afirmou ter visto Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado, suspeito de envolvimento no desaparecimento da dupla, carregar uma espingarda e fazer um cinto de munições pouco depois que o indigenista Bruno Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips deixaram a comunidade de São Rafael com destino à Atalaia do Norte, na manhã do domingo, dia 5, data em que foram vistos pela última vez.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários