Sistema Cantareira
DIVULGAÇÃO / SABESP
Sistema Cantareira

O nível do Sistema Cantareira, reservatório de água que abastece a região metropolitana de São Paulo, está hoje com 41,5% de sua capacidade de operação, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O volume aumentou cerca de 20% nos primeiros dez dias de fevereiro.

Em 31 de janeiro deste ano,  o manancial atingia o maior volume após cinco meses em declínio, com 33,57% da capacidade. Esta porcentagem não era vista desde 17 de setembro de 2021, quando o manancial atingiu cerca de 33,5%.

Segundo dados da Sabesp, a última vez em que o nível do reservatório atingiu 41,5% da capacidade foi em 31 de julho de 2021. Desde o segundo semestre do ano passado até janeiro de 2022, o manancial passou por um declínio, entrando em faixa de alerta após atingir menos de 30% da capacidade.

Apesar do aumento positivo nestes primeiros dez dias de fevereiro, o nível deste ano ainda é o menor em cinco anos, ficando atrás somente de fevereiro de 2016, quando a região Sudeste passou por uma grave crise hídrica.

Veja a capacidade de operação do Cantareira nos outros anos:

10 de fevereiro de 2016: 18,09%

10 de fevereiro de 2017: 63,39%

10 de fevereiro de 2018: 50,86%

Leia Também

10 de fevereiro de 2019: 44,44%

10 de fevereiro de 2020: 49,86%

10 de fevereiro de 2021: 44,85%

O crescimento significativo nesses dias é devido à chuva. Segundo a Sabesp, somente no dia 7 de fevereiro as precipitações na região da Cantareira foram de 32,40 mm (cerca de 30 litros de água por metro quadrado), o que justifica o aumento neste mês.



O Sistema Cantareira é formado por cinco reservatórios (Jaguari, Jacareí, Cachoeira, Atibainha e Paiva Castro) conectados entre si e é responsável por abastecer 46% da população da região metropolitana de São Paulo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários