Adriano da Nóbrega convocou milicianos após assassinato de Marielle Franco
Reprodução
Adriano da Nóbrega convocou milicianos após assassinato de Marielle Franco

Investigações referente o  caso Marielle Franco sugerem que Adriano da Nóbrega convocou um encontro entre milicianos logo após o assassinato da vereadora e seu motorista, Anderson Gomes, para falar sobre o crime. A reunião teria acontecido em uma padaria em Rio das Pedras, área onde o 'Capitão Adriano' chefiava uma milícia. As informações são do portal Uol.

Saiba mais: Polícia prende miliciano acusado de mandar matar vereadora

De acordo com as apurações, ao menos três depoentes citaram o encontro entre os milicianos. Duas delas, relataram que o então chefe do 'Escritório do Crime' buscava informações e queria saber se havia o envolvimento de algum dos seus aliados com o crime.

O celular de Ronnie Lessa, acusado de assassinar a então vereadora do Rio de Janeiro, evidencia que o encontro seria para tratar da morte de Marielle Franco.

Você viu?

Leia: Delação premiada da viúva de Adriano da Nóbrega tem contradições

"Tu sabe que eu nunca gostei de me meter. Aquele dia que tu me falou o negócio lá que eles estavam reunidos no dia da, da morte lá da vereadora, que eles ficaram lá no, tu me falou isso no Rio das Pedras, o que eu falei pra tu? No Rio das Pedras não, no, no Quebra-Mar, que que eu falei? Quero nem saber meu filho, não falei isso pra tu? Não quero nem saber dessa merda. Porra, sai fora meu irmão, eu não gosto nem de saber dessas coisas", disse Lessa.


Segundo investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro, o áudio teria sido forjado por Ronnie para 'se afastar' do caso. Não adiantou. Um mês após a gravação da conversa, Lessa foi preso por suspeita de envolvimento no crime.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários