Bolsonaro satiriza CPI da Covid:
Reprodução
Bolsonaro satiriza CPI da Covid: "Vão me denunciar por charlatanismo"

Nesta quinta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) concedeu uma entrevista à Radio Jovem Pan Maringá (PR) e satirizou um possível indiciamento que a CPI da Covid pode impetrar contra ele junto ao Ministério Público Federal (MPF) . As acusações baseiam-se nos crimes de charlatanismo e curandeirismo.

"Como não tem como me acusar, vão me denunciar charlatanismo e curandeirismo", disse o presidente antes de gargalhar aos ouvintes.

Leia: Omar Aziz avalia que CPI da Covid "está próxima do fim"

A fala de Bolsonaro se refere a informação divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo, que revelou o entendimento de integrantes da CPI para que a comissão inclua em seu relatório final - apresentado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL) - as acusações de charlatanismo e curandeirismo após Jair incentivar, repetidamente, o uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19.

Você viu?

Saiba mais: Bolsonaro procura costurar alternativa ao voto impresso com Judiciário

Em seguida, o presidente falou sobre sessão da CPI desta quinta-feira - que ouvirá o seu líder de governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros (PP-PR).


"Estou ansioso pela ida dele à CPI, ele vai lá explicar o que aconteceu. Tenho convicção pelo que conheço o Barros. Neste caso específico da vacina, acho que vai se sair bem", finalizou.

Barros foi convocado para a comissão após ser citado pelo deputado Luiz Miranda (DEM-DF) como o nome citado por Jair Bolsonaro como possível associado ao escândalo da compra da vacina indiana Covaxin, após o presidente ser avisado de supostas irregularidades no Ministério da Saúde.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários