Praia de Copacabana vazia após decreto com restrições para evitar o avanço da Covid-19
Tânia Rêgo/ Agência Brasil
Praia de Copacabana vazia após decreto com restrições para evitar o avanço da Covid-19

As prefeituras do Rio de Janeiro e Niterói divulgaram, na tarde desta segunda-feira (22), restrições mais duras para conter o avanço da pandemia provocada pela Covid-19 . Antes da apresentação das medidas, os secretários de saúde dos dois municípios destacaram que a taxa de ocupação em UTI vem oscilando, mas continua alta, perto de 100%. E que as restrições foram definidas em conjunto, por especialistas integrantes dos conselhos técnicos das duas cidades.

As medidas terão validade entre 26 de março e 4 de abril, durante o que estão chamando de  superferiado, sugerido pelo governo estadual para diminuir a circulação de pessoas . E serão reavaliadas daqui a dez dias. Confira o que muda a partir da próxima sexta-feira.

- suspensão de atendimentos presenciais de atividades não-presenciais
- suspensão de cirugias eletivas e aulas presenciais em creches e escolas
- proibição da circulação de pessoas entre 23h e 5h
- parques, museus, pistas de caminhadas e clubes fechados
- quiosques na orla não poderão abrir
- drive-thru e take away de bares e restaurantes estão permitidos, mas sem consumo no local

"É um esforço pra evitar colapso como vimos em outros estados", diz o secretário de saúde de Niterói, Rodrigo Oliveira. Daniel Soranz, secretário de saúde do Rio,  completou: "Sabemos que são medidas duras, mas eficientes. Se tomadas agora, vão salvar muitas vidas".

Ao serem perguntados sobre o fechamento de igrejas, os prefeitos afirmaram que os templos religiosos estarão autorizados a funcionar.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários