flordelis
Reprodução/TV Globo
A deputada Flordelis foi indiciada por homicídio triplamente qualificado

A deputada federal Flordelis fez uma transmissão ao vivo nas redes sociais na tarde de quinta-feira cerca de duas horas após ter se apresentado na Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Rio de Janeiro para  colocar uma tornozeleira eletrônica.

No vídeo, citando passagens bíblicas, Flordelis agradeceu àqueles que a defendem da acusação de ser mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho do ano passado.

"A volta por cima via chegar. Queria dar uma satisfação para vocês. Para quem está me apoiando, continue me apoiando. Quem está orando por mim, continue orando. Jajá Deus vai mudar essa situação. Jajá Deus vai colocar o que está fora do lugar, no lugar. Meu Deus é grande. Não tem legião do inferno que prevaleça sobre o poderio desse Deus. A hora que ele mandar Satanás recuar, vai recuar de uma vez por todas. Moisés sobrou uma vara, para Flordelis sobrou a minha voz", afirmou em vídeo postado no Instagram e no Facebook.

As imagens foram registradas na casa da deputada, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. No vídeo é possível ouvir que ela é aplaudida por outros presentes após as declarações e que é acompanhada por mais vozes e pela melodia de um violão enquanto canta.

"Para você que acha que é o fim de todas as coisas, esse é o começo de um grande testemunho. Meu Deus ainda não colocou um ponto final nessa história", disse a deputada.

Flordelis foi intimada na noite de terça-feira e tinha 48 horas para instalar o dispositivo de monitoramento. Ela recebeu o aviso às 19h, fora do horário do expediente do Tribunal de Justiça do estado e tinha até as 17h de quinta-feira para ir à Seap.

A pasta informou em nota que "a deputada recebeu todas as orientações necessárias e cumpriu todos os trâmites de praxe para o cumprimento da decisão judicial" no local.

Processo disciplinar

Flordelis também enfrenta um processo disciplinar na Câmara dos Deputados. A corregedoria analisa se houve quebra de decoro parlamentar, que poderia culminar na perda do mandato da deputada.

A falta de decoro pode se dar pelo abuso das prerrogativas de parlamentar, recebimento de vantagens indevidas ou praticar irregularidades graves no desempenho do mandato que afetem a dignidade da representação popular.

O corregedor da Câmara, deputado Paulo Bengtson (PTB-PA), afirmou em seu relatório que a deputada não conseguiu provar que não cometeu a infração.

O parecer de Bengtson, entregue na quinta-feira, dia 1º, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recomenda a abertura do processo de cassação do mandato de Flordelis.

    Veja Também

      Mostrar mais