Tamanho do texto

Segundo o Corpo de Bombeiros, vítimas eram funcionárias da Vale; ônibus foi encontrado no sábado, neste domingo (28), buscas estão interrompidas

Tragédia em Brumadinho deixou, até o momento, 37 mortos; 256 estão desaparecidos
Agência Brasil / Isac Nóbrega/PR
Tragédia em Brumadinho deixou, até o momento, 37 mortos; 256 estão desaparecidos






Pelo menos dez corpos foram retirados, neste domingo (28) dos escombros de um ônibus encontrado na manhã de sábado (27) pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. De acordo com a corporação, o veículo foi achado em um local próximo à barragem da Vale que se rompeu em Brumadinho.

Leia também: Israel envia tropa de 130 soldados para ajudar nas buscas em Brumadinho

Segundo o tentente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros, os mortos ainda não foram identificados, mas todos eram funcionários da mineradora Vale. Ele explicou que o processo de identificação desses mortos, encontrados perto da barragem de Brumadinho , é um trabalho difícil e vai demandar um tempo maior.

 No sábado, Aihara já havia adiantado que o trabalho de retirada dessas vítimas dos escombros seria demorado. "É um local de difícil acesso e precisamos de um maquinário especial para acessar essa estrutura e retirar essas vítimas", explicou.

Até o momento, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais confirmou 37 mortes na tragédia . Desses, 8 foram identificados. A corporação também informou que 256 pessoas estão desaparecidas, mas que 192 foram resgatadas com vida.

Neste domingo, as buscas estão interrompidas. Por volta das 5h30, a mineradora Vale , responsável pelas barragens da região, emitiu sinal de alerta para um possível novo rompimento . Em comunicado oficial, a empresa informou que as sirenes foram acionadas depois que um aumento dos níveis de água na barragem VI, que faz parte do complexo de Brumadinho , foi identificado.

De acordo com o tentente Aihara, as principais regiões afetadas pelo novo risco de  rompimento da barragem  são Pires, Centro, Parque da Cachoeira (junto de Tejuco e Córrego do Feijão) e Progresso. Cerca de 24 mil pessoas devem ser retiradas dessas localidades.

Leia também: Situação do Rio Paraopeba e avanço dos rejeitos serão discutidos, diz Bolsonaro

Ele também afirmou que os moradores devem se dirigir para a Igreja Matriz, Delegacia e o Morro do Querosene, locais considerados seguros mesmo caso haja rompimento. "As áreas para onde as comunidades estão sendo levadas são as áreas previstas no plano de ação de emergência da barragem. O Corpo de Bombeiros permanece com todas as aeronaves de prontidão, para se for necessário deslocar equipes ou mesmo realizar ações de resgate e salvamento", disse.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.