Tamanho do texto

Segundo Corpo de Bombeiros, o risco de uma nova barragem se romper na região foi descartado por hora, mas o local continua a ser monitorado

Área do rompimento da barragem em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte
Presidência da Republica/Divulgação
Área do rompimento da barragem em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte



O tenente-coronel Godinho, da Defesa Civil de Minas Gerais, inforou que não existe mais risco de rompimento de uma nova barragem da Vale. Com isso, a evacuação da cidade de Brumadinho e as buscas por vítimas foram retomadas.

Leia também: Israel envia tropa de 130 soldados para ajudar nas buscas em Brumadinho

"As pessoas já podem retornar para suas casas", afirmou Godinho. "Voltamos para o risco 1, ou seja, não existe perigo de novo desabamento por hora, mas seguiremos fazendo o monitoramento", explicou. De acordo com tenente-coronel, as equipes de busca já voltaram a trabalhar em Brumadinho .

Sirenes de alerta para um possível novo rompimento de barragem foram acionadas, em Brumadinho, por volta das 5h30 deste domingo (27). O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e a mineradora Vale, responsável pelas barragens da região, confirmaram o sinal. Mais de 20 mil pessoas foram evacuadas da cidade.

Leia também: Justiça bloqueia R$ 5 bilhões das contas da Vale; Ibama aplica multa

Confira o o momento em que as sirenes de emergência foram acionadas. "Evacuação de emergência", diz o vídeo. "Procure o local mais alto da cidade":




Segundo a corporaçã, as buscas por vítimas da tragédia foram interrompidas temporariamente e ainda não há previsão de retomada. No momento, a prioridade é retirar, em segurança, a população da nova área de risco. 

De acordo com o tentente Pedro Aihara, do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, as principais regiões afetadas pelo novo risco de rompimento da barragem eram Parque da Cachoeiras, Pires, Ipiranga, Centro, São Conrado, Santo Antônio e Coab.

No início da manhã de hoje (27), cerca de 24 mil pessoas precisavam ser retiradas dessas localidades. Agora, faltam 3 mil, das zonas de Ipiranga, Centro, São Conrado, Santo Antônio e Coab, que ainda não terminaram de ser evacuadas.

Parque das Cachoeiras e Pires , que eram as maiores áreas de já estão sem ninguém.

Ele também afirmou que os moradores devem se dirigir para a Igreja Matriz de São Sebastião, Estação Conhecimento, Centro Comunitário e Morro do Querosene, locais considerados seguros mesmo caso haja rompimento. "As áreas para onde as comunidades estão sendo levadas são as áreas previstas no plano de ação de emergência da barragem. O Corpo de Bombeiros permanece com todas as aeronaves de prontidão, para se for necessário deslocar equipes ou mesmo realizar ações de resgate e salvamento", disse.

Até o momento, a corporação confirmou 37 mortos e 287 desaparecidos . 192 pessoas foram resgatas com vida.

Barragens que oferecem risco devem passar por nova vistoria, diz ministro




Leia também: Dodge cria força tarefa para apurar rompimento de barragem em Brumadinho

Na noite de sábado (26), o ministro da Segurança Institucional, Augusto Heleno, disse que o Conselho Ministerial de Supervisão de Respostas a Desastres, que acompanha a situação de Brumadinho , concluiu que é “importante e urgente” que barragens que oferecem risco sejam novamente revistadas. “Existe uma qualificação de risco, de acordo com a qual podemos fazer escalonamento dessa nova vistoria. Os ministérios especializados no assunto também têm intenção de revisar o protocolo de licenciamento de barragens”, afirmou.




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.