Tamanho do texto

Site do Tribunal Superior Eleitoral presta esclarecimentos sobre informações falsas; Haddad e Manuela D'Ávila tiveram notícias retiradas das redes

Para driblar fake news no período eleitoral, TSE lança plataforma de esclarecimentos
Nelson Jr./TSE
Para driblar fake news no período eleitoral, TSE lança plataforma de esclarecimentos


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou, nesta quinta-feira (11), uma nova plataforma para ajudar no combate às fake news – termo em inglês, usado popularmente na internet para nomear notícias falsas.

Leia também: Conselho do TSE está preocupado com notícias falsas no Whatsapp

O site tem como objetivo ajudar o eleitor brasileiro a esclarecer os fatos mentirosos sobre as eleições presidenciais que têm sido disseminados nas redes sociais. De acordo com a Justiça Eleitoral, a divulgação de informações corretas e apuradas é de extrema importância, já que é a melhor maneira de combater a desinformação por meio das fake news .

Com o nome "Esclarecimentos sobre informações falsas veiculadas nas Eleições 2018 ", a página oferece explicações do próprio TSE sobre as mensagens falsas e também oferece links de agências e fontes confiáveis de notícias desmentindo os boatos.

Até a publicação desta reportagem, a plataforma já contava com cinco esclarecimentos, entre eles o de que a urna autocompletava o voto para presidente , favorecendo o candidato petista Fernando Haddad, e o de que 7,2 milhões de votos teriam sido anulados pelas urnas.

Outras informações inverídicas, como a anulação de votos para Presidente e o vídeo em que garis carregavam urnas supostamente sem o consentimento da Justiça Eleitoral também foram desmentidas pela plataforma.

O TSE afirma que “A Justiça Eleitoral desempenha relevante papel na consolidação da democracia em nosso país e trabalha incansavelmente para oferecer à sociedade um processo de votação seguro, transparente e ágil, garantindo efetividade à manifestação popular exercida por meio do voto”. O tribunal também ressalta que, até o momento, nenhuma ocorrência de violação ao processo de votação ou apuração do processo eleitoral foi comprovada.

Leia também: Exibição de entrevistas de Bolsonaro não feriu lei eleitoral, diz TSE

Segundo a Justiça Eleitoral , todos os relatos de irregularidades recebidos são enviados para investigação do Ministério Público Eleitoral e da Polícia Federal. Dessa forma, os responsáveis por compartilhar conteúdo inverídico podem ser punidos e eventuais crimes podem ser apurados.

Fake news que atingiram chama petista foram retiradas do ar

Candidato Fernando Haddad (PT) já teve diversas fake news retiradas da internet pelo TSE
Ricardo Stuckert
Candidato Fernando Haddad (PT) já teve diversas fake news retiradas da internet pelo TSE


Hoje (11), o ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Carlos Horbach, determinou a retirada da internet de uma p ublicação com conteúdo falso sobre o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad. A coligação O Povo Feliz de Novo, pertencente ao presidenciável, pediu a saída de outros 222 conteúdos.

Na semana anterior, outros 35 endereços com conteúdos inverídicos sobre o petista foram retirados do ar.

Leia também: TSE conclui apuração e diz que 117 milhões de eleitores foram às urnas

A candidata à vice-presidente pela chapa petista, Manuela D’Ávila (PCdoB), também foi atingida pelas fake news . Foram 33 links inverídicos retirados do Facebook pelo TSE na última segunda-feira (8).