Tamanho do texto

A corrente que circula nas redes sociais foi desmentida na tarde desta quarta-feira (10) pelo próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Notícia sobre 7,2 milhões de votos anulados pelas urnas é falsa
José Cruz-Agência Brasil
Notícia sobre 7,2 milhões de votos anulados pelas urnas é falsa

"TSE informa: 7,2 milhões de votos anulados pelas urnas! A diferença de votos que levaria à vitória de Bolsonaro no primeiro turno foi de menos de 2 milhões. O TSE tem obrigação de esclarecer os motivos que levaram à anulação de mais de 7,2 milhões de votos que representam 6,2% do total. A anulação só pode acontecer em voto de papel, porque permite rasuras ou ambiguidade."

Leia também: Bolsonaro ainda não pode ir a debate ou fazer campanha, dizem médicos

O texto sobre os  7,2 milhões de votos anulados pelas urnas circulou nas redes sociais durante essa semana e causou espanto entre os eleitores brasileiros. Porém, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desmentiu a informação na sua conta oficial no Twitter; confira:

"Atenção! O texto que circula sobre a anulação de votos pela Justiça Eleitoral é falso!
Não foram 7,2 milhões de votos anulados pelas urnas. Esse número corresponde ao volume de eleitores que optaram por votar nulo."

Ainda de acordo com o TSE , a apuração dos votos do primeiro turno das Eleições 2018 terminou às 21h20 de segunda-feira (8). Do total de 147.306.295 eleitores, 117.364.560 compareceram às urnas, número equivalente a 79,67%. Os votos válidos totalizaram 107.050.673, equivalentes a 91,21%. A abstenção alcançou 29.941.265 e representou 20,33%. O total de votos nulos foi de 7.206.205, equivalentes a 6,14%, e os votos brancos somaram 3.106.936 (2,65%). Foram apuradas 454.490 urnas, a última delas na cidade de Houston, nos EUA.

Leia também: Haddad cumpre agenda em SP; Bolsonaro faz avaliação médica para definir campanha

Os 7,2 milhões de votos anulados pelas urnas de acordo com a notícia falsa se confundem com os 7 milhões de votos nulos.  A próxima votação acontece no dia 28 de outubro. Pelos últimos resultados, será realizado um segundo turno para o próximo presidente da República, assim como para os governadores de 13 estados (Amazonas, Amapá, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio Grande do Sul, Rondônia, Rio Grande do Norte, Sergipe, Roraima, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo) e do Distrito Federal. 

Leia também: Fora do debate da Globo, Bolsonaro dá entrevista para a Record


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.