Veja os principais fatos do governo de Muamar Kadafi

Coronel liderou a Líbia por 42 anos e teve sua morte anunciada pelo governo interino do país nesta quinta-feira

iG São Paulo |

Reuters
Muamar Kadafi durante abertura de encontro da União Africana, em fevereiro de 2009
O líder deposto da Líbia Muamar Kadafi , morto nesta quinta-feira , passou 42 anos no poder e se tornou o líder com mais tempo de governo tanto na África quanto no mundo árabe.

Kadafi foi deposto em agosto, após sete meses de protestos e conflito armado na Líbia, quando forças do Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão político dos rebeldes e hoje governo interino do país, tomaram o controle da capital, Trípoli.

Veja os principais fatos da era Kadafi:

1 o de setembro de 1969: Movimento dos Oficiais Livres, liderado por Muamar Kadafi, expulsa o rei Idriss e instala o Conselho de Comando da Revolução. Kadafi assume o poder.

1973: Líbia ocupa a Faixa de Auzu (norte do Chade) até 1994. Neste período, as forças líbias intervêm várias vezes no conflito do Chade.

Setembro de 1976: Publicação do "Livro verde" de Kadafi, na qual explica sua filosofia política, apresentando uma alternativa nacional ao socialismo e ao capitalismo, combinada com aspectos do islamismo.

Março de 1977: Kadafi cria o conceito de "Jamahiriya" ou "Estado das massas", em que o poder é exercido através de milhares de "comitês populares". A teoria alega também resolver as contradições inerentes no capitalismo e comunismo, para colocar o mundo em um caminho de revolução política, econômica e social e libertar os povos oprimidos.

8 de janeiro de 1986: Washington põe fim nas relações econômicas com a Líbia e pede que Kadafi seja tratado "como um pária", acusado de estar envolvido em atentados contra Roma e Viena em dezembro de 1985

14 de novembro de 1991: Dois líbios são acusados de participação em um atentado contra um Boeing da PanAm em Lockerbie, na Escócia, que aconteceu em dezembro de 1988 e deixou 270 mortos). Em 2001, Abdelbaset Ali al-Megrahi é condenado à prisão perpétua por um tribunal escocês. Em 2009, é libertado.

31 de março de 1992: Líbia sofre embargo aéreo e militar da ONU, seguido de sanções econômicas. As últimas sanções foram retiradas em 2003 após um acordo de compensação às famílias das vítimas de Lockerbie.

1995: Expulsão de mais de 300 mil estrangeiros "em situação irregular". Em 1985, Trípoli expulsou 30 mil trabalhadores tunisianos, o que provocou a ruptura das relações diplomáticas com a Tunísia até 1987.

10 de março de 1999: Justiça francesa condena à prisão perpétua seis agentes líbios acusados de serem os autores do atentado ao DC-10 francês de UTA no Níger, que deixou 170 mortos em 1989.

19 de dezembro de 2003: Trípoli renuncia ao desenvolvimento de armas de destruição em massa.

9 de janeiro de 2004: Acordo de indenização das famílias das vítimas do DC-10.

2005: Várias companhias petrolíferas, principalmente americanas, retomam suas operações na Líbia.

15 de maio de 2006: Restabelecimento das relações diplomáticas completas com Washington. Retirada da Líbia da lista americana dos Estados que apoiam o terrorismo.

5 de setembro de 2008: Secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, faz visita oficial à Líbia, a primeira de um chefe da diplomacia americana em 55 anos.

2 de fevereiro de 2009: Kadafi fica à frente da União Africana por um ano.

Fevereiro de 2011: Início de protestos sem precedentes contra o regime, violentamente reprimidos. Com o tempo, as manifestações se transformam em conflito armado.

19 de março de 2011: Operação militar na Líbia é lançada por Washington, Paris e Londres sob mandato da ONU. A Otan toma o comando em 31 de março. Enquanto isso, o Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão político dos rebeldes líbios, ganha respaldo internacional.

23 de agosto de 2011: Muamar Kadafi foge após a tomada de Trípoli pelas forças rebeldes.

9 de setembro de 2011: Kadafi, seu filho Seif Al-Islam e seu cunhado Abdallah Al-Senussi são alvo de "alerta vermelho" da Interpol após mandato de prisão do Tribunal Penal Internacional.

20 de outubro de 2011: Governo interino da Líbia anuncia que Kadafi foi morto em Sirte, sua cidade natal e um dos últimos bastiões de resistência, que passa para o controle do governo interino.

21 de outubro de 2011: Em vídeo publicado no YouTube , um jovem afirma ter sido o responsável pela morte de Muamar Kadafi e mostra o casaco e a aliança que teriam sido retirados do corpo do ex-ditador líbio.

Com AFP

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabesirtecnt

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG