Dilma reajusta Bolsa Família; aumento real médio será de 8,7%

Incluída a correção da inflação, aumento médio foi de 19,4% e chega a 45,5% para as famílias com filhos de 0 a 15 anos

Thiago Guimarães, enviado a Irecê | 01/03/2011 14:41

Compartilhar:

Em meio a cortes no Orçamento e após votação do salário mínimo no Congresso, a presidenta Dilma Rousseff  anunciou nesta terça-feira um pacote de reajuste do Bolsa Família, principal bandeira do governo na área social. Em visita a Irecê, cidade localizada na região baiana do chamado "Polígono das Secas", o palanque para destacar também ações do governo em benefício a trabalhadoras rurais serviu principalmente ao anúncio do aumento dado aos 12,9 millhões de famílias beneficiadas, 13% desse total na Bahia.

O reajuste médio anunciado por Dilma foi de 19,4%, o que representa um aumento real (descontada a inflação) de 8,7% desde setembro de 2009, época da última alteração. O aumento maior se concentrou nas famílias com filhos de 0 a 15 anos, que receberão reajuste total de 45,5%. Segundo o governo, o impacto financeiro do aumento é de R$ 2,1 bilhões.

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff é recebida por populares em Irecê, Bahia

“As famílias com mais filhos são aquelas também que têm maior dificuldade de enfrentar a vida e tem um nível de pobreza maior”, disse Dilma, que classificou o reajuste como o primeiro passo do plano de erradicação da miséria que pretende imprimir como marca de sua gestão.

As restrições no Orçamento estenderam a discussão sobre o tamanho do reajuste até a véspera do anúncio. Na noite de segunda-feira (28), técnicos dos ministérios do Planejamento e do Desenvolvimento Social ainda fechavam as contas. O último reajuste no programa – que pagava, em média, R$ 96 mensais para famílias de baixa renda – havia sido de 4% reais (acima da inflação). Com o aumento, o benefício médio subirá para R$ 115.

Dilma disse que o fato de 2010 ter sido um ano eleitoral impediu o reajuste no Bolsa Família, programa sempre presente em seus discursos da campanha. “Porque no ano de 2010 era ano eleitoral e a gente não fez política com o Bolsa Família em época de eleição”, afirmou.

Entre leitura do discurso e trechos de improviso, a presidente fez várias menções ao ex-presidente  Lula e até transmitiu “recados” do antecessor ao público. “Almocei com o presidente em São Paulo e então ele me pediu duas coisas: uma que dissesse pra vocês que ele manda um abraço enorme. E manda todo o carinho dele. E a segunda coisa é que ele vai estar conosco nos próximos quatro anos, e nós, juntos, o governo e vocês aqui, cada um de vocês aqui, somos responsáveis por fazer e continuar a transformação que nos últimos oito anos o presidente Lula encaminhou. Eu ajudei nesses oito anos, mas agora a bola esta conosco, com os homens e as mulheres, mas sobretudo com as mulheres”, afirmou a presidente.

Sem citar os programas precursores do Bolsa Família no governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), o governador Jaques Wagner (PT) usou o discurso para exaltar o papel do programa de transferência de renda no estimulo à economia. “É o grande programa de recuperação da economia brasileira que nós instituímos a partir de 2003”, disse.

Wagner também “lançou” a candidatura de Dilma à reeleição ao prever que a presidente fará “quatro e oito anos de governo da melhor qualidade”. “Já estou lançando a reeleição dela aqui. E o pior é que ela não me pediu, é capaz de me dar uma bronca lá fora”, completou.

Encontro com os pobres

A visita a Irecê (478 km de Salvador), no sertão baiano, marcou também o primeiro contato da presidenta com eleitores de baixa renda desde a posse, e na região que é o principal reduto eleitoral de Lula. Antes da chegada de Dilma, Lula recebeu até homenagem de um sanfoneiro, que adaptou um forró de Luiz Gonzaga para cantar a “saudade do Lulão”. Dilma concentrou os dois primeiros meses da gestão em atividades fechadas em Brasília, com viagens curtas a São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Aracaju.

Na cidade do sertão baiano, a presidenta visitou um mutirão de emissão de documentos e uma feira de produtos de trabalhadoras rurais. Os cumprimentos aos moradores começaram contidos, com apertos de mão, e aos poucos deram lugar a abraços e beijos.

Repetindo o roteiro da campanha eleitoral, Dilma começou seu discurso em Irecê com uma saudação às mulheres. De improviso, agradeceu aos eleitores baianos pela votação no Estado, onde obteve a maior vantagem no pleito e se disse emocionada pelo “contato tão forte, amigo e carinhoso da população”.

De Irecê, Dilma seguiu no início da tarde para Salvador, onde participara de anúncio de uma obra que começará em março de 2012, a implantação de um terminal de GNL (Gás Natural Liquefeito) da Petrobras. Integrante da lista de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), a construção prevê investimentos de US$ 706 milhões.

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo