Mensagem foi publicada no Twitter; perfil do deputado federal publicou vídeo onde ele que diz a frase para Maria do Rosário

BBC

Terça-feira, 9 de dezembro, véspera do Dia Internacional dos Direitos Humanos, Câmara dos Deputados, Brasília: "Fica aí, Maria do Rosário. Fica aqui para ouvir. Há poucos dias você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei: 'Não estupraria você porque você não merece'."

Ontem: Votação da meta fiscal vira palco para parlamentares criticarem Bolsonaro

Bolsonaro afirmou em Sessão Plenária que não estupraria deputada porque ela 'não merece'
Agência Câmara
Bolsonaro afirmou em Sessão Plenária que não estupraria deputada porque ela 'não merece'

Desde 2010: Reeleito deputado pelo Rio, Bolsonaro quase quadruplicou votos

Horas depois de dirigir estas palavras à deputada e ex-ministra da secretaria de Direitos Humanos da Presidência, Maria do Rosário (PT-RS), o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) reiterou o discurso pelo Twitter: "Após mentir sobre o período militar, Bolsonaro coloca Maria do Rosário em seu devido lugar".

A frase chamava seus seguidores para o vídeo publicado pelo perfil de Bolsonaro no YouTube com o seguinte título, escrito em maiúsculas: "BOLSONARO ESCOVA MARIA DO ROSÁRIO". As imagens mostram seu discurso, feito em Sessão Plenária, em Brasília.

As declarações causaram indignação nas redes e o termo Rosário virou um dos dez tópicos mais comentados pelos brasileiros no Twitter.

Cassação

Pelo Facebook - até a publicação desta reportagem - 4,3 mil pessoas haviam confirmado presença num evento intitulado "Cassem o Bolsonaro - #CassaçãodoBolsonaroJá! #EleNãoNosRepresenta".

Na página, os organizadores chamam a sociedade a "dar uma resposta ao Deputado Federal Bolsonaro pelo TWITTER". A ideia é criar um tuitaço às 11h desta quarta-feira, com as hashtags #CassaçãodoBolsonaroJá!, #BolsonaroNinguémMerece e #DeputadosCassemBolsonaro.

Pelo Facebook, 4,3 mil haviam confirmado presença num evento intitulado 'Cassem o Bolsonaro - #CassaçãodoBolsonaroJá!'
Reprodução/BBC
Pelo Facebook, 4,3 mil haviam confirmado presença num evento intitulado 'Cassem o Bolsonaro - #CassaçãodoBolsonaroJá!'

Outra página (http://bbc.in/1vDFX6F), criada pelo jornalista Nelson Neto, pela advogada da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Irina Karla e pela professora Mila Grossi, propõe uma denúncia coletiva pela cassação do deputado.

"É a segunda vez que o parlamentar do PP agride a Deputada Maria do Rosário com esse tipo de discurso, que incentiva a cultura do estupro. A primeira foi em 2003, quando ambos também eram congressistas", afirmou Neto à reportagem.

A ideia é enviar um abaixo-assinado registrando a queixa para a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, a Ouvidoria da Mulher, a Procuradoria Geral da República e o Presidente da Câmara dos Deputados.

Criada na terça-feira por volta das 19h, a denúncia coletiva contava, até o fechamento desta reportagem, com 168 assinaturas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.