Temer crava candidatura própria do PMDB à presidência em 2018

Por Anderson Passos - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Vice-presidente não elencou que nome pode representar o partido; Dilma gravou o mensagem de agradecimento

Vice na chapa da Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República, o presidente nacional do PMDB Michel Temer admitiu nesta segunda-feira (13) que o partido deve ter nome próprio à sucessão ao Planalto em 2018. 

iG São Paulo
Em ato peemedebista, vice-presidente Michel Temer acenou com fim da aliança PT-PMDB

Leia mais: No 1º debate, Dilma comparará governos; Aécio fará proposta e apresentará apoios

Aécio comemora apoio de Marina e diz que decisão engrandece política brasileira

Sem Amaral e Erundina, PSB elege hoje nova executiva

Lula e FHC, a batalha de titãs na retaguarda de Dilma e Aécio


"O nosso PMDB, que nunca segunda-feira, convenhamos, saiu dos seus municípios e veio para cá. Eu diria que é muito interessante, mais do que a minha eleição e da Dilma, isso significa que em 2016 nós vamos ter prefeitos no estado de São Paulo. Significa que em 2018 nós vamos eleger o governador de São Paulo e significa também que em 2018 nós vamos lançar um candidato à Presidência da República. Com esse entusiasmo que eu vejo aqui, quem é que segura o PMDB?", indagou Temer parza uma plateia lotada de peeemdebistas. 

A manifestação do vice presidente ocorreu em reunião-almoço na zona norte da capital, que trouxe à capital integrantes das bancadas federal, estadual, prefeitos e vereadores para manifestar apoio à reeeleição da presidente Dilma Rousseff. O evento contou com pelo menos 70 dos 84 prefeitos peemedebistas do estado. 

Temer, no entanto, evitou cravar que ele mesmo possa ser o candidato em 2018, mas não ponderou sobre qual nome possa ser o postulante do partido na próxima eleição presidencial. 

Durante o evento, um telão exibia propaganda eleitoral da presidente Dilma Rousseff. A titular do Planalto deixou uma mensagem gravada onde observou que "o eleitor paulista não está consciente" dos recursos que o governo federal trouxe para o estado em obras como o Rodoanel, a expansão do metrô, o monotrilho, entre outras iniciativas.

Leia tudo sobre: Eleições 2014Michel Temervice-presidentePMDBpartidos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas