Medida foi aprovada na semana passada após intenso debate no Congresso

Cristina Kirchner posa ao lado de militantes do movimento LGBT na sede do governo
AFP
Cristina Kirchner posa ao lado de militantes do movimento LGBT na sede do governo
BUENOS AIRES - A presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, promulgou hoje a lei que habilita o casamento gay, o que torna a sociedade do país "mais igualitária" , afirmou. "Com esta lei não se tirou nada de ninguém, se deram direitos a que não os tinha", afirmou a governante durante um ato na sede do Governo. A Argentina aprovou na quinta-feira passada uma reforma do Código Civil que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo após um duro e intenso debate legislativo que refletiu a divisão que existe no país respeito deste tema.

"Hoje somos uma sociedade mais igualitária que na semana passada. Estas questões têm a ver com a condição humana, com a aspiração à igualdade. São coisas que não podem nos dividir, mas unir", disse Fernández. "Não sancionamos uma lei, mas uma construção social, transversal, diversa, plural, ampla. Não pertence a ninguém, mas à sociedade. Construir qualidade institucional é isto", ressaltou a chefe de Estado.

Durante as semanas anteriores à sanção da medida, a Igreja Católica e outros grupos religiosos realizaram inúmeras mobilizações e uma forte campanha contra a aprovação da norma promovida pelo Governo de Cristina. Inclusive, vários juízes de paz do país anteciparam que se negarão a oficializar enlaces entre homossexuais, apesar de a norma não contemplar a "objeção de consciência".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.