'Vocês correrão de novo', diz Obama em missa por vítimas de ataque em Boston

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em cerimônia aos mortos e feridos nas explosões na Maratona de Boston, o presidente dos EUA destacou o caráter receptivo da cidade: 'Escolheram o lugar errado para fazer o ataque'

O presidente dos EUA, Barack Obama, compareceu à Catedral da Santa Cruz nesta quinta-feira (18) para participar de uma missa inter-religiosa em homenagem às vítimas do ataque na Maratona de Boston na segunda-feira. Duas explosões de bombas perto da linha de chegada da corrida deixaram três mortos e quase 180 feridos.

Durante seu discurso, Obama relembrou a frase escrita em um cartaz por Martin Richard, 8 anos, morto no ataque. "Pare de machucar as pessoas. Paz", afirmou, acrescentando que as orações de todos os americanos estão com as famílias de Richard, de Krystle Campbell e de Lingzi Lu, mortos nas explosões.

Leia mais: Investigadores buscariam dois possíveis suspeitos por ataque em Boston

AP
Presidente Barack Obama faz discurso em cerimônia inter-religiosa na Catedral de Santa Cruz, em Boston

Mídia: Investigadores creem ter identificado suspeito de ataque em Boston

Confusão: Autoridades dos EUA negam prisão de suspeito por ataque em Boston

"Vocês vão levantar, andar e vão correr de novo. Disso eu não tenho dúvida", afirmou. "Está muito claro agora que escolheram a cidade errada para fazer isso (o ataque). Não aqui em Boston."

Obama também falou de Boston como uma cidade que está sempre de braços abertos para receber pessoas de outras partes dos EUA e do mundo. "Boston é sua cidade natal, mas nós a reivindicamos um pouco também", afirmou. "Vocês deram boas-vindas a mim como um estudante de direito e a Michelle também. Vocês me receberam quando eu era um senador estadual e poucos conseguiam pronunciar meu nome."

Obama sobre Boston: 'Quando bombas são usadas contra civis, é terrorismo'

Obama afirmou que a cidade se reuniu em uma missa nesta quinta não somente para rezar e lidar com as perdas, mas também para "reafirmar que o espírito dessa cidade é destemido". Ao falar diretamente aos responsáveis pelo ataque, Obama reafirmou: "Sim, vamos encontrá-los e sim, vocês enfrentarão a Justiça."

Além do presidente, participaram da cerimônia a primeira-dama Michelle; o ex-rival do presidente na última eleição, Mitt Romney; o governador de Massachusetts, Deval Patrick; e o prefeito de Boston, Thomas Menino. O ataque à Maratona de Boston foi o pior em solo americano desde o 11 de Setembro de 2001

A viagem à cidade tirou o presidente da capital americana, Washington, que ficou agitada na quarta depois que o FBI prendeu um homem no Mississippi por ligação com cartas enviadas a Obama e a um senador aparentemente com ricina, um veneno letal.

AP
Presidente Barack Obama participa de missa inter-religiosa na Catedral de Santa Cruz em Boston

O FBI disse não haver nenhuma indicação de conexão entre as cartas com ricina e os ataques a bomba em Boston, mas os incidentes despertaram lembranças dos ataques por correio com anthrax após o 11 de Setembro, há 12 anos.

Investigações em Boston

Centenas de investigadores trabalham 24 horas para identificar dois homens que, segundo uma fonte policial disse à rede de TV CNN, são vistos em imagens capturadas antes da explosão de duas bombas perto da linha de chegada da Maratona de Boston. Um deles segurava uma mochila preta. Na quarta, a informação é de que havia apenas um suspeito.

Em panela de pressão: Bomba de ataque em Boston pretendia mutilar vítimas

Veja imagens das homenagens às vítimas do ataque:

Pistas: Investigadores encontram tampa de panela usada em bomba de Boston

Segundo a CNN, imagens dos dois homens perto da linha de chegada estão circulando entre as agências de segurança estaduais e federais. As fotografias não foram divulgadas ao público para não prejudicar a investigação, disse a fonte à emissora de TV sob condição de anonimato, descrevendo os homens como "possíveis suspeitos".

Mais tarde, a secretária de Segurança Interna, Janet Napolitano, afirmou que o FBI quer interrogar dois homens vistos em pelo menos um vídeo da Maratona de Boston. Ela, entretanto, não os caracterizou como suspeitos.

A secretária afirmou que ainda não está claro se o ataque foi realizado por terroristas estrangeiros ou domésticos. Segundo Janet, a investigação continua em ritmo acelerado.

Maratonista Nathan Finney, de Boston, e sua filha Mckenna, 5, são vistos antes de serviço inter-religioso na Catedral de Santa Cruz em homenagem a vítimas de ataque. Foto: APPresidente Barack Obama e a primeira-dama Michelle Obama rezam durante missa inter-religiosa na Catedral da Santa Cruz, em Boston. Foto: ReutersPresidente dos EUA, Barack Obama, e sua mulher, Michelle, chegam a serviço inter-religioso na Catedral de Santa Cruz em homenagem a vítimas de ataque em Boston. Foto: APBoné do Red Sox é colocado no memorial pelas vítimas das explosões na Maratona de Boston, na rua Boylston (18/4). Foto: ReutersChineses seguram fotos de Lu Lingzi, estudante da Universidade de Boston que morreu nas explosões durante a maratona na cidade (17/4). Foto: APPessoas em luto participam de vigília após o ataque na Maratona de Boston, nos EUA (17/4). Foto: AP

Investigadores recolheram milhares de evidências, de fotos tiradas de telefones celulares na hora da explosão a pedaços de estilhaços e esferas de ferro retirados das pernas das vítimas. Dez vítimas tiveram membros amputados.

Com base em fragmentos de metal, tecido, fios e uma bateria recuperados na cena das explosões, o foco voltou-se para quem pode ter feito as bombas dentro de panelas de pressão e as levado em pesadas bolsas de nylon preto para a linha de chegada da corrida, uma das mais famosas do mundo e assistida por milhares de espectadores.

Com AP e BBC

Leia tudo sobre: ataque em bostonbostoneuamaratona de bostonmissamaratona

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas