Japão implanta sistema de defesa como prevenção a ataques da Coreia do Norte

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Mísseis denominados interceptadores estão em área de exercícios direcionada para a região da península coreana

O Ministério da Defesa do Japão informou nesta terça-feira (9) que implantou sistema de defesa antimísseis em Tóquio, capital do país, como medida de prevenção a eventuais ataques da Coreia do Norte. A ação faz parte do plano de defesa japonês preparado pelas Forças Armadas. Porém, os detalhes são mantidos em sigilo.

Leia também: Coreia do Norte suspende trabalhos em parque industrial conjunto com Seul

Reuters
Ordem do governo do Japão é abater qualquer míssil que ameace o país

NYT: Aos poucos, Japão se afasta do pacifismo

Os mísseis preparados são denominados interceptadores e chamados de Patriot Advanced Capability-3 (PAC3). Os dois mísseis estão em uma área de exercícios direcionada para a região da Península Coreana. A ordem do governo do Japão é abater qualquer míssil que ameace o país. Segundo a rede CNN, eles estão no distrito central de Ichigaya e nos subúrbios de Asaka e Narashino.

Há informações de que foram preparados também mísseis do tipo PAC em outras regiões do Japão. O esquema de defesa envolve ainda navios equipados com sistema avançado de radar e interceptadores para rastrear e abater mísseis.

Veja mais: Coreia do Norte sugere que países esvaziem embaixadas em Pyongyang

O anúncio do governo ocorre um dia depois de a Coreia do Norte ter dito que suspenderia as operações do complexo industrial conjunto com a Coreia do Sul, a Kaesong, no sinal mais recente de deterioração das relações na península coreana.

A situação piorou depois que o governo da Coreia do Sul espalhou preocupação no resto do mundo ao falar sobre informações de que a Coreia do Norte estaria se preparando para um quarto teste nuclear.

O ministro da Unificação da Coreia do Sul depois esclareceu seus comentários sobre os planos da Coreia do Norte, dizendo que Pyongyang está "continuamente se preparando" para outro teste nuclear desde fevereiro, e que não houve nenhum novo sinal de movimentação.

A tensão na península vem crescendo desde que a ONU impôs novas sanções ao regime comunista do Norte, em resposta ao seu terceiro teste de armas atômicas , em fevereiro. Depois, um exercício militar conjunto dos EUA com a Coreia do Sul irritou ainda mais o Norte, que ameaçou os dois países inimigos com uma guerra nuclear.

Com Agência Brasil e Reuters

Leia tudo sobre: japãocoreia do nortecoreia do sulpyongyangseultóquiomísseis

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas