Noite de gala no Cine Odeon abre festival de cinema no Rio

Após exibição de filme inédito de Pedro Almodóvar, festa para 1500 convidados agita museu; veja vídeo e galeria

Luisa Girão e Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Os mais de quinze metros de tapete vermelho que cortam parte da calçada da Cinelândia, no centro da cidade, já avisam: é chegada a hora do Festival do Rio que, até o dia 18 de outubro, vai agitar o cine Odeon.

Na noite de abertura, nesta quinta-feira (6), o filme “A Pele que Habito” , de Pedro Almodóvar atraiu diversas celebridades e diretores à sala de exibição. A grande estrela foi Marisa Paredes, atriz espanhola do filme. "Queria agradecer aos meus amigos, como o Caetano Veloso, que eu encontrava por aí, em Nova York ou outros lugares... Mas não esperava encontrar por aqui. Tenho o prazer de apresentar o filme de um diretor controverso e querido da Espanha. Ele é contemporâneo, moderno e democrático. O cinema de Almodóvar não poderia acontecer em um Estado não democrático de direito”, disse Paredes para o público que lotou o Odeon.

nullCaetano Veloso, momentos antes já havia conversado com a reportagem do iG . “A expectativa para o festival é boa. Hoje já começa com um filme de peso. Estou curioso para vê-lo”, disse. Quem também chegou cedo para garantir um bom lugar foi Ney Latorraca, de elegantíssimo paletó branco. “Hoje me arrumei para vir aqui. A menina que trabalha lá em casa até disse que nunca tinha me visto assim. Me arrumo só para uma ocasião especial como essa”, brincou.

Walquiria Barbosa, uma das organizadoras do evento que já chega em sua décima terceira edição, se mostrou satisfeita com a escolha do filme espanhol para abrir o festival, que contará com mais de 350 títulos em exibição em toda a cidade. “Gosto de tudo do Almodóvar. Realmente, sou fã. Mas diria que ‘Carne Trêmula’ marcou uma época da minha vida. É uma história de amor e desamor. Intensa e vibrante”, declarou.

George Magaraia
Marisa Paredes e Caetano Veloso no Cine Odeon

Outro bastante empolgado com o começo da maratona cinematográfica, Sérgio Sá Leitão, presidente da RioFilme, destacou a importância de se levar o festival a dez comunidades carentes, incluindo o Complexo do Alemão . “Sempre quis expandir o festival para as comunidades, mas não sabíamos como. Esse ano, conseguimos levar para a sala de cinema do Alemão, aonde eles terão uma degustação de filmes estrangeiros”, disse

Tropa no Oscar

Feliz pela indicação a representante brasileiro na tentativa de uma vaga na categoria de filme estrangeiro ao Oscar 2012 com “Tropa de Elite 2”, o produtor Marcos Prado não conseguiu incluir a tempo o seu “Paraísos Artificiais” na competição. Ficou para janeiro, quando deve ser lançado nacionalmente. “O ‘Paraísos’ não ficou pronto a tempo. As casas de finalização estão lotadas. A gente até pensou se corria para participar do festival ou se fazíamos do jeito que queríamos. Achamos melhor fazer um grande lançamento no começo do ano que vem”, disse.

Já sobre o Oscar... “Me sinto honrado, mas agora precisamos fazer um trabalho de campo. Tirar as pessoas das funções cotidianas para ir ao cinema e votar no nosso filme. São 90 filmes do mundo inteiro concorrendo por cinco vagas. Contratamos uma empresa para fazer sessões, jantares e todo o ritual que precisa para levar o filme ao Oscar”, contou Prado.

George Magaraia
Leticia Sabatella também esteve na abertura do festival, no Rio
Noite no Museu

Após a exibição do filme, o festival ofereceu uma festa para mais de 1500 convidados no Museu Histórico Nacional, na Quinta da Boa Vista. Musas de tantos filmes – e novelas – Paola Oliveira, Tais Araújo, Luiza Brunet e Grazi Massafera roubaram as atenções.

Brunet estreou no Festival, estando ao lado da filha, Yasmin Brunet. “É a primeira vez que venho, acredita? Mas a Yasmin está mais interessada do que eu, já que ela está querendo ser atriz”. A filha completou: “Estou feliz de estar aqui. Quero conhecer diretores e atores que eu admiro e que são maravilhosos”, declarou a modelo, um pouco tímida com o batalhão de repórteres ao seu redor.

Veja também: Fotos exclusivas da festa de abertura do festival

Sempre linda e simpática, Paola disse que tem “muitos ver que pretende ver nestas duas próximas semanas”. Já Tais vai acompanhar o marido, o ator Lázaro Ramos, ao menos em duas sessões bastante especiais. “Nossa, tem uma porção de filme. Só Lazaro tem dois filmes no Festival. Quero assistir também o do Karin Anouz, o da Camila Pitanga. Mas não sei se vou conseguir ver tudo, já que estou com filho pequeno em casa”, contou.

Também estiveram presentes Sergio Marone, Dira Paes, Alessandra Negrini e Leticia Sabatella, que chegou ao local ainda anestesiada pelo filme que acabara de assistir. “Sempre o último filme dele (do Almodóvar) é o melhor. Mas gosto muito de ‘Fale com ela’. Sou muito apaixonada. Ele é um diretor genuíno e legitimo”, disse. Maria Paula também estava animada, e não demoraria para cair na pista de dança. “Hoje quero me divertir e ouvir música boa”, avisou aos fotógrafos.

    Leia tudo sobre: festival do riocinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG