Avaliação de professores muda em vários Estados americanos

Novos sitemas passam a levar em conta observações em sala de aula para tomar decisões sobre contratação, promoção e demissão

NYT |

NYT

Em um exercício que parecia ter saído de um seminário de motivação empresarial, um grupo de professores e diretores de escolas públicas dos Estados Unidos se agrupou em volta de cartazes com títulos de canções dos Beatles. Sua missão: escolher aquele que capturasse seus sentimentos sobre um novo sistema de avaliação de desempenho que será testado em seu distrito.

Leia também:  Estudo americano mede a eficiência do professor em sala de aula

Jessicca Shaffer, professora da quinta série na comunidade suburbana de Boulder, no Colorado, juntou-se ao grupo que estava em volta do cartaz com a canção “Eight Days A Week” (Oito Dias por Semana, em tradução literal) - outras opções eram "We Can Work It Out" (Nós Podemos Resolver) e "Help!" (Socorro!).

NYT
Treinamento de professores é semelhante a a exercício de motivação empresarial

"Mesmo se tivéssemos aulas em 52 semanas em um ano, ainda assim não teríamos tempo suficiente para fazer tudo o que temos que fazer", disse Jessicca, com um certo ar de exasperação. "Estou saturada".

Os professores e administradores, que se reuniram no mês passado na sala de reuniões do distrito escolar do Vale do São Vrain para uma sessão de treinamento que durou um dia inteiro e os ensinou sobre como efetuar a avaliação de professores através de observações em sala de aula, ecoaram ansiedades sentidas por professores ao redor de todo o país.

Incentivado em parte pelos esforços para se qualificar para o programa de subvenção federal do governo de Obama ou para receber ajuda da No Child Left Behind, a lei de educação da era Bush, 36 Estados e o Distrito de Columbia optaram por novas políticas de avaliação de professores nos últimos três anos, segundo o Centro Nacional de Qualidade de Ensino, uma grupo de pesquisa sem fins lucrativos e grupo de defesa. Um número crescente de Estados está orientando os distritos a utilizar essas avaliações nas decisões sobre a forma como os professores são contratados, promovidos ou demitidos.

Proponentes disseram que as atuais avaliações de desempenho são superficiais e praticamente categorizam todos os professores no campo de "satisfatório". "Para mim, tratar todo mundo da mesma maneira é algo humilhante", disse Arne Duncan, secretário de educação, em uma entrevista por telefone. "Muito poucos professores recebem feedback honesto sobre o que eles estão fazendo."

NYT
Brian Huey, professor da quarta série nos EUA, acredita que critérios de avaliação são justos

Mas mesmo aqueles que são céticos sobre a questão de utilizar os resultados dos testes para avaliar os professores disseram que observações feitas em sala de aula, quando bem feitas, podem ajudar os professores a melhorarem.

Para os professores, o maior medo é que uma avaliação mal feita poderá fazer com que percam seu emprego. Sob a nova lei do Colorado, o docente pode ser classificado como altamente eficaz, eficaz, parcialmente eficaz ou ineficaz. A partir do próximo ano letivo, qualquer um que receber uma classificação de "ineficaz" ou "parcialmente eficaz" por dois anos consecutivos, terá a autorização para exercer sua profissão removida, disse Katy Anthes, a diretora-executiva da eficácia educadora no Departamento de Educação do Estado. Para manter-se no cargo, um novo professor deve ser avaliado como sendo pelo menos "eficaz" durante três anos consecutivos.

"O sistema atual não tem rubrica e por isso é mais difícil saber o que você está realmente verificando", disse Janis Hughes, uma diretora que participou do treinamento.

Hughes, diretora há mais de uma década na escola de ensino fundamental Burlington, onde cerca de 41% dos alunos participam do programa de almoços grátis e preço reduzido, entrou na sala de aula para observar Brian Huey, um professor da quarta série.

Huey, que raspa a cabeça e usa um pequeno brinco de prata em cada orelha, começou pedindo para que as crianças definissem a palavra do dia: "disposição".

Na sequência a classe se reuniu no tapete para uma revisão de conceitos de geometria."Quais são as dimensões desse retângulo?", Huey perguntou para um menino. O menino parou para pensar. Uma menina que saltou várias vezes durante a aula estava ansiosa para mostrar o que tinha recém aprendido. "É também conhecido como um perímetro!", ela revelou.

"Não vamos ajudá-lo com a resposta, deixe-o pensar", Huey disse gentilmente.

Hughes, assistindo do fundo da sala, notou. "Ele envolveu Janelle na conversa, mas o fez isso uma forma respeitosa", disse ela. "Mas também ao mesmo tempo lhe disse de uma maneira sútil que ela não pode dominar a conversa".

Tais observações, disse Hughes, que facilmente se encaixam na rubrica do modelo do Estado. (Página 10: O professor garante que todos os estudantes participem com um nível de frequência elevado").

Em geral,disse Huey, "quando eu analisei quais são os critérios de avaliação, eles parecem ser bastantes justos."

"Nada mais são do que indicadores de uma boa educação", acrescentou.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG