Fechamento do lixão de Gramacho é adiado para maio

Atividades seriam encerradas no dia 23 de abril. Nova data ainda vai ser definida

iG Rio de Janeiro |

Foi adiado para maio o fechamento do aterro sanitário de Jardim Gramacho, localizado no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A decisão foi anunciada nesta segunda-feira (16) pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, após reunião com o ministro da secretaria-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e representantes dos catadores de lixo, na sede do BNDES. As atividades no lixão seriam encerradas no próximo dia 23 de abril . A nova data ainda vai ser definida.

Pedro Kirilos / Agência O Globo
Fechamento do aterro sanitário de Jardim Gramacho foi adiado para maio (Foto de arquivo)
No encontro, ficou acertado que a Prefeitura do Rio vai pagar em parcela única os recursos do Fundo dos Catadores, que originalmente seriam pagos ao longo de 14 anos em parcelas anuais de R$ 1,5 milhão. Também foi decidido que os representantes dos cerca de 1.500 catadores existentes em Jardim Gramacho têm até 25 de abril para informar a relação de quem terá direito aos recursos.

Os catadores deverão abrir conta individual na Caixa Econômica Federal para o recebimento da parcela única, que será depositada no mês de maio. Eles terão direito a uma indenização individual em valor que ainda será definido, podendo girar em torno de R$ 15 mil, dependendo do número de beneficiados.

Fim dos lixões

Em entrevista à Agência Brasil, o secretário estadual de Ambiente, Carlos Minc, disse que a Baía de Guanabara vai estar livre de lixões em seu entorno até o final de 2012. Após o fechamento do aterro sanitário de Gramacho, devem ser encerrados os lixões localizados nos municípios de Magé, Queimados, Japeri, Miguel Pereira e Guapimirim. Segundo Minc, o lixo que hoje é jogado nesses locais será levado para aterros sanitários legalizados, deixando de poluir a Baía de Guanabara.

“Cada lixão desses gera uma grande quantidade de chorume - líquido escuro resultante da decomposição do lixo -, que retira o oxigênio da água. Vai ser um importante ganho para a baía o fim de todos os lixões, tanto ambientalmente como socialmente”, declarou.

Na semana passada, o prefeito Eduardo Paes afirmou que “não dá para trabalhar uma coleta seletiva quando se tem um aterro como o de Gramacho poluindo a Baía de Guanabara”. “Será o fim desse crime ambiental que a cidade pratica há cerca de três décadas”, assegurou.

    Leia tudo sobre: coleta de lixoaterro sanitáriolixãogramacho

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG