Manuscritos do Mar Morto com mais de 2 mil anos são publicados na internet

Entre os vários manuscritos digitalizados figuram fragmentos de pergaminhos como o dos Dez Mandamentos, do Capítulo 1 do Gênese e os Salmos

AFP | - Atualizada às

AFP

AFP
Na imagem, a réplica de um fragmento do manuscrito de 2000 anos de idade, com os Dez Mandamentos

Milhares de manuscritos do Mar Morto, que datam de mais de dois milênios, foram fotografados e a partir de agora podem ser consultados na internet, anunciou nesta terça-feira (18) a Autoridade de Antiguidades israelense.

Entre esses manuscritos, figuram fragmentos dos pergaminhos mais antigos do Antigo Testamento descobertos até agora, em particular os Dez Mandamentos, do capítulo 1 do Gênese, até os Salmos e o Livro de Isaías, em sua integralidade e textos apócrifos.

As técnicas mais modernas de tratamento da imagem, desenvolvidas principalmente por especialistas da Nasa, foram utilizadas para arquivar e tirar do anonimato o conjunto dos milhares de fragmentos de manuscritos até agora pouco acessíveis ao grande público devido a sua fragilidade.

Leia também:
Papiro do século 4 sugere que Jesus Cristo foi casado
Museu de Israel e Google digitalizam manuscritos do Mar Morto
Tecnologia espacial permite digitalizar manuscritos do Vaticano
Modelo de computador explica como Moisés separou o Mar Vermelho

Os procedimentos empregados permitirão também analisar melhor o estado de conservação desses documentos, que datam do terceiro ao primeiro século de nossa era. O lugar onde foram encontrados os rolos do Mar Morto, considerados uma das descobertas arqueológicas mais importantes do século XX, foi localizado por acaso por um pastor de cabras em 1947, em Qumran, em uma gruta perto do Mar Morto na Cisjordânia.

Os documentos mais antigos remontam ao século III antes de Cristo e o mais recente foi redigido no ano 70, no momento da destruição do segundo Templo judeu por legiões romanas.

A maioria desses documentos estão conservados no Museu de Israel, em Jerusalém, e alguns foram apresentados no exterior, mas sua fragilidade limita sua manipulação e sua exposição à luz.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG