Rota prende mais um suspeito de participar de morte de policial em SP

Preso nesta sexta-feira em operação no Guarujá é suspeito de matar Edilson Avelino dos Santos, no dia 30 de maio, enquanto ele trabalhava como zelador em uma escola

iG São Paulo | - Atualizada às

A Polícia Militar de São Paulo prendeu nesta sexta-feira (29) mais um homem suspeito de participar da morte de um policial durante a onda de ataques sofridos por agentes fora do horário de trabalho, neste mês. E.F.G., conhecido como E. Macaco, é suspeito de matar o soldado Edilson Avelino dos Santos, de 37 anos, no Guarujá, a 95 km da capital. 

Ataques:  Mais dois ônibus são atacados em São Paulo 
Governador: 'Enfrentou a polícia vai levar a pior', diz Alckmin sobre onda de ataques

Detido: Rota prende suspeito de ligação com PCC e morte de policiais em São Paulo
Polícia divulga vídeo e números das ações contra ataques a policias em São Paulo

Divulgação/SSP
Cartaz da PM mostra dois suspeitos identificados e outros três procurados por retrato falado

O suspeito foi preso durante uma operação da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), 2º BPChoque, Comando de Operações Especiais (COE) e Canil, na Favela do Caixão, na avenida Presidente Vargas, no Guarujá.  “Nesta operação, toda a estrutura estatal esteve empenhada em prol da segurança”, comentou o major Marcelo Gonzales Marques, da Rota.

A ação cumpriu um mandado de busca coletivo, abordou 837 pessoas e prendeu outras sete. Também foram apreendidos cerca de 820 pinos de cocaína, 100 papelotes de maconha, um carregador de arma e 18 cartuchos de fuzil.

O major Gonzales ressaltou que mais do que prender suspeitos e apreender entorpecentes, operações desse tipo demonstram que “não existe lugar ‘seguro’ para criminoso se esconder”.

“A ação prova que a Polícia Militar pode entrar em qualquer lugar, seja ou não uma favela. Não há território dominado para a PM”, comentou.

Procurados:  Polícia divulga foto dos suspeitos pelas mortes de PMs na capital paulista 

Ataques

Desde o dia 12 de junho, seis policiais militares morreram em horário de folga. Já são 39 PMs mortos neste ano . Em 2011, foram assassinados 47, sete em serviço. Quatro bases foram atacadas e 12 ônibus incendiados .

DHPP: "Execução de PMs é retaliação ao trabalho da polícia," diz diretor
PCC:  Em 2006, onda de ataques amedrontou São Paulo; relembre

    Leia tudo sobre: ataquesapoliciaataquesPolícia MilitarRota

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG