Após PM aceitar acordo, Polícia Civil anuncia greve no Ceará

"A PM conseguiu aumento salarial e nós paramos 5 meses, fizemos tudo conforme a lei e não conseguimos nada", diz sindicato

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

Os policiais civis do Ceará decidiram em assembleia na noite desta terça-feira (03) que começar uma greve geral. A categoria parou duas vezes em 2011, mas a greve foi decretada ilegal e o governo não concedeu nenhum reajuste .

Acordo próximo: PMs aprovam proposta do governo e greve no Ceará pode acabar

Greve em novembro: Governo do Ceará corta salário de policiais civis em greve

Sem nada: Justiça decreta greve ilegal e policiais voltam ao trabalho no Ceará

“A Polícia Militar conseguiu aumento salarial e nós paramos cinco meses, fizemos tudo conforme a lei e não conseguimos nada”, diz nota publicada no site do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará

“A Polícia Militar conseguiu aumento salarial e nós paramos cinco meses, fizemos tudo conforme a lei e não conseguimos nada”, diz nota publicada no site do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará (Sinpoci).

Efeitos da greve: Fortaleza entra em pânico e lojas fecham

Os policiais militares do Ceará entraram em greve na última quinta-feira (29), às vésperas do réveillon, o que levou o governador Cid Gomes (PSB) a decretar estado de emergência no Estado e o governo federal enviar tropas do Exército e Força Nacional para reforçar a segurança nas ruas de Fortaleza.

A greve gerou sensação de insegurança nas ruas da capital e, em pânico, o comércio parou de funcionar no início da tarde. Com isso, o governo encaminhou uma proposta aos grevistas que inclui anistia, reajuste e redução da carga horária. Os grevistas aceitaram a proposta e estão acertando os últimos pontos da proposta em reunião nesta noite com o governador.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG