Manifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty e tentam invadir o prédio

Por Nivaldo Souza - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Policiais dispersaram grupo que tentava furar bloqueio em frente ao Congresso e eles seguiram para o Itamaraty, onde não havia segurança; mais de 20 mil protestam

Um grupo de manifestantes que participava do protesto em Brasília nesta quarta-feira (20) colocou fogo no Palácio do Itamaraty ao tentar invadir o prédio. O incêndio foi contido em seguida, mas os manifestantes ainda tentaram entrar no local. A polícia conseguiu controlar a situação usando bombas de gás, mas várias vidraças foram quebradas. O grupo chegou ao palácio depois que a polícia conseguiu dispersá-lo da frente do Congresso por volta das 20h.

Manifestantes: Político precisa saber que não é imortal', diz manifestante de Brasília

Brasília: Polícia monitora cerca de 50 ‘laranjas podres’ em manifestação

Protesto na segunda: Mais de 5 mil protestam no DF e invadem o Congresso Nacional

Veja o momento em que os manifestantes botam fogo na frente do Itamaraty


Um primeiro balanço aponta 31 feridos entre os manifestantes na Esplanada dos Ministérios. Segundo informações do Samu do Distrito Federal, 11 foram removidos para hospitais: um deles com possível traumatismo craniano; outro com ferimento de bala de borracha na perna; e outro manifestante com um ferimento na perna que pegou uma artéria e, por isso, sangrava muito. Os demais não tiveram ferimentos graves e muitos foram atendidos em razão de intoxicação com gás lacrimogêneo e spray de pimenta.

Por volta das 22h, a ação da Tropa de Choque da Polícia Militar do Distrito Federal com bombas de gás lacrimogêneo começou a dispersar os manifestantes agrupados diante do Congresso Nacional. Como alguns manifestantes permaneceram no local, os policiais seguiram perfilados em frente ao espelho d'água, limite imposto ao protesto pela PM. O objetivo é evitar que os manifestantes tenham acesso à Chapelaria da Câmara dos Deputados e consigam assim invadir o interior do prédio que abriga a Câmara e o Senado.

Os manifestantes também tentaram invadir o prédio do Congresso, como fizeram na última segunda-feira, mas foram dispersados com gás e spray de pimenta. Em frente ao Congresso, o iG observou um grupo que usava coletes para minimizar o impacto dos cacetetes da PM e portava mochilas com rojões e sinalizadores. Muitos se dizem anarcopunks.

O protesto “Acorda, Brasília” reuniu mais de 30 mil pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar. A PM do DF reforçou a segurança e destacou um efetivo de 3,5 mil homens para atuar no ato, mas não havia reforço no Itamaraty. Com as bombas de gás e spray de pimenta, muitas pessoas que participavam pacificamente do protesto passaram mal na Praça dos Três Poderes.

Leia mais sobre os protestos do fim de semana no DF:

'Sou do rock e vim protestar', diz manifestante 

Veja como foi a ação da Polícia Militar contra os manifestantes 

PM usa bomba de gás e bala de borracha contra protesto em frente a estádio 

Manifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty em protesto que reuniu mais de 20 mil. Foto: ReutersManifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty e são contidos pela polícia. Foto: DivulgaçãoManifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty em protesto que reuniu mais de 20 mil. Foto: ReproduçãoManifestantes tentam invadir Palácio do Itamaraty em protesto que reuniu 20 mil em Brasília. Foto: ReproduçãoManifestantes entram em confronto com a polícia em Brasília. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABrManifestantes entram em confronto com a polícia em Brasília. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABrManifestantes entram em confronto com a polícia em Brasília. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABrCerca de 20 mil pessoas protestam em frente ao Congresso Nacional. Foto: Agência BrasilMais de 20 mil manifestantes estão em frente ao Planalto, em Brasília. Foto: BSB Valter Campanato ABrMais de 20 mil manifestantes estão em frente ao Planalto, em Brasília. Foto: BSB Valter Campanato ABrMais de 20 mil manifestantes estão em frente ao Planalto, em Brasília. Foto: BSB Valter Campanato ABrManifestantes voltam às ruas no DF com bandeiras contra a PEC 37, "Fora Renan", contra obras da Copa e outras bandeiras. Foto: Nivaldo Souza/iG Brasília


Um PM que foi ferido com um golpe de mastro de bandeira por um dos manifestantes reunidos no Congresso Nacional foi levado ao Centro Médico da Câmara dos Deputados para realizar um exame de tomografia. Segundo relato de outro policial, o PM W.Silva, de 35 anos, usava capacete quando foi atingido. Ainda de acordo com os policiais, o manifestante reagiu após a PM jogar spray de pimenta no grupo. Com o rosto coberto, o manifestante se aproximou e golpeou o policial. Silva, que já havia respirado gás lacrimogêneo e aparentemente já não estava bem, caiu desacordado.

Com o avanço dos manifestantes para o prédio do Itamaraty, por questão de segurança, as luzes do interior do prédio do Congresso Nacional foram apagadas. O objetivo é dificultar eventuais tentativas de invasão por parte dos manifestantes.

Os manifestantes se concentraram em frente ao Congresso Nacional por volta das 17h30 e um grupo tentava furar novamente o bloqueio dos policiais para entrar no Congresso, como aconteceu na segunda-feira. Ontem, os organizadores do protesto se reuniram para definir uma pauta para o protesto de hoje. Eles decidiram marchar contra a PEC 37, que retira o poder de investigação do Ministério Público; pelo ‘Fora, Renan’, o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL); pela auditoria dos gastos da Copa do Mundo em 2014; e também pela saúde e educação.

Com informações da Agência Brasil e da Agência Estado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas