No Rio, 200 pessoas se reuniram para protestar contra a indicação do presidente da Comissão de Direitos Humanos. Também houve manifestação em SP e Salvador

Agência Estado

Manifestantes protestaram neste sábado (16) contra a indicação do pastor Marco Feliciano (PSC) para a presidência Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara federal. Representantes de vários grupos de direitos humanos entoaram palavras de ordem em repúdio a declarações racistas e homofóbicas do deputado em várias cidades do País.

Leia mais: Sob protestos, Pastor Feliciano é eleito presidente da Comissão

Mais:  Presidente da Câmara pede equilíbrio e chama de ‘lamentável’ briga na comissão

Assista: Deputados brigam e quase trocam tapas na Comissão de Direitos Humanos

Em São Paulo, um grupo de pessoas, a maioria simpatizantes e comunidades GLBT, se concentrou na Praça do Ciclista na Avenida Paulista e depois, com faixas e cartazes saiu pela rua da Consolação em direção à praça Roosevelt. Também houve manifestação no Largo da Catedral, em Campinas. Salvador (BA) e Florianópolis (SC) também tiveram manifestações.

Pelo menos 200 pessoas participaram de um protesto em Copacabana, no Rio de Janeiro. Os manifestantes também protestaram contra o presidente do Senado, Renan Calheiros.

Durante a manifestação, iniciada às 14 horas e encerrada pouco das 18 horas na orla de Copacabana, uma ativista de um grupo foi atacada por um homem desconhecido, tendo o seio desnudo apertado por ele. "Foi um incidente. Mas rapidamente as pessoas se juntaram para me defender", disse Sara Winter, de 20 anos, organizadora do movimento Femem no Brasil.

(Com informações da Agência Estado)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.