Ministro da Cidadania, João Roma, durante entrevista
Valter Campanato/Agência Brasil - 07.02.2022
Ministro da Cidadania, João Roma, durante entrevista

ministro João Roma anunciou neste domingo que o seu atual chefe da assessoria especial e Assuntos Estratégicos do Ministério da Cidadania, Ronaldo Vieira Bento, será o seu substituto na condução da pasta. Roma precisa deixar o cargo na próxima semana para  concorrer ao governo do estado da Bahia nas eleições deste ano.

A reforma ministerial já é esperada e está prevista para acontecer no dia 31. Além de Roma, Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), Tereza Cristina (Agricultura) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo), entre outros, também devem deixar o comando das pastas para concorrer a cargos em outubro.

Ronaldo Vieira Bento está no ministério desde março de 2021. Ele é servidor de carreira do Executivo desde 2005 e já foi presidente da Comissão Permanente de Avaliação de Documentos Sigilosos e Autoridade de Monitoramento da Lei de Acesso à Informação junto ao Ministério da Justiça, onde também já ocupou o cargo de Ouvidor-geral.

Roma, que é deputado federal licenciado, foi nomeado ministro em fevereiro de 2020, por indicação do Republicanos. Foi o primeiro representante do Centrão a entrar no primeiro escalão do governo.

Na sexta-feira, ele anunciou que trocaria o partido pelo PL . Neste domingo, durante o lançamento da pré-candidatura de Bolsonaro (PL) , o presidente da legenda, Valdemar Costa Neto, confirmou a filiação de Roma e do ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, que também deve deixar o governo para ser candidato.

Leia Também

"Sim, senhor (me filiei). Tenho certeza que o Marcos Pontes se filiou hoje, soube que o Braga Netto iria se filiar, mas não encontrei com ele no evento, então não tenho certeza. Gilson está filiado no PL e deve seguir pré-candidato ao Senado em Pernambuco."

O ministro da Defesa, Braga Netto, é cotado para ser o companheiro de chapa de Bolsonaro . A tendência era que ele se filiasse neste domingo ao PL. Apesar da expectativa, o ministro não estava no evento.

Na semana passada, Bolsonaro sinalizou que o ministro da Defesa seria o escolhido, ao afirmar que seu vice é mineiro e militar . Neste domingo, no entanto, a ministra Tereza Cristina ocupou o lugar ao lado de Bolsonaro durante o evento. Ela é o nome indicado pelo Centrão para ocupar o lugar de vice.

"O vice é uma escolha pessoal do presidente. O presidente já deu sinalizações, mas acho que nada é imutável, tem muitas opções, mas pelo o que se falou está muito claro a sinalização que ele deu", afirmou Roma a jornalistas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários