Presidente Jair Bolsonaro
Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro


Alvo do  relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia com nove pedidos de indiciamento, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) lembrou, nesta quarta-feira (20), que tem "amigos" no Judiciário. O Poder interessa nesse contexto porque o documento apresentado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL) será remetido à Procuradoria-Geral da República (PGR) e outras instâncias do Ministério Público. Se elas prosseguirem com as acusações, Bolsonaro poderá virar réu na Justiça.


"É muito bom estar entre amigos e, hoje, uma parcela considerável desses amigos são do Poder Judiciário. Vocês, sim, para nós, representam em grande parte a nossa democracia, a nossa cidadania e a nossa liberdade. O Brasil precisa, sim, de Justiça. Esse nosso Tribunal Regional Federal (TRF) simboliza mais agilidade. Nós precisamos disso", declarou o presidente em evento no Palácio do Planalto.



A solenidade em questão marcou a sanção do projeto de lei que criou o TRF da 6ª Região para cuidar dos processos de Minas Gerais. O portal Extra, que divulgou a declaração, lembra que essa postura não é comum para Bolsonaro. O presidente costuma travar embates com membros do Judiciário, como no último 7 de setembro, quando fez ataques aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários