Luciano Hang, empresário bolsonarista alvo da CPI da Covid
Reprodução/Agência Senado
Luciano Hang, empresário bolsonarista alvo da CPI da Covid

A C PI da Covid ouve nesta quarta-feira (29) o empresário bolsonarista Luciano Hang, dono da rede de atacado Havan . Um dos homens mais ricos do Brasil, com uma fortuna de quase US$ 3 bilhões, ele é investigado por incentivar o uso de tratamentos comprovadamente ineficazes contra Covid-19, por questionar a contagem de vítimas da doença e por financiar blogueiros bolsonaristas propagadores de Fake News.

Nascido em Brusque, no estado de Santa Catarina, o empresário de 58 anos teve o nome ventilado na Comissão Parlamentar de Inquérito quando Renan Calheiros afirmou que o prontuário da mãe de Hang havia sido adulterado. Ela teria morrido de Covid-19 em fevereiro deste ano, após ficar internada em um dos hospitais da rede Prevent Senior. 

Ao ser convocado a depor, o empresário provocou a CPI da Covid ao publicar um vídeo em seu Instagram em que aparece com um dos braços algemados.  Segundo ele, o objeto foi comprado para evitar gastos públicos caso ele seja preso pela comissão.

 Filho de operários

Filho de operários e portador de dislexia, Hang é casado com Andreia Benvenutti Hang e tem três filhos, Lucas, Leonardo e Mateus. Ele começou a trabalhar aos 17 anos na mesma fábrica em que trabalhavam seus pais e avós.

Quando tinha 24 anos, abriu a primeira loja da Havan em Brusque. No início, eram vendidos apenas tecidos. Em 1995, a rede inaugurou a primeira filial, em Curitiba (PR) e, a partir daí, se expandiu por diversas cidades brasileiras. 

A empresa tem lojas 163 lojas em 18 estados do Brasil. Ao todo, a Havan emprega 20 mil funcionários. Além da Havan, Hang é sócio de uma construtora de Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense.

Leia Também

Investigações

Hang não é investigado apenas pela CPI da Covid. Ele é, também, alvo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por favorecimento ilegal da campanha de Jair Bolsonaro em 2018, e pelo Supremo Tribunal Federa (STF) no Inquérito das Fake News.

Em maio de 2020, a mando do Supremo, a Polícia Federal fez buscas a endereços do empresário bloqueou suas contas nas redes sociais. Ele é acusado de financiar ações antidemocráticas, disseminar informações falsas e ameaçar as instituições.

Em fevereiro deste ano, a mãe do empresário, Regina Hang, morreu após ser internada com Covid-19 em um hospital da rede Prevent Senior.

A CPI da Covid diz que o prontuário da paciente mostra que ela foi medicada com o chamado "kit covid": "azitromicina, hidroxicloroquina e outras medicações". Ela teria também usufruído de ozonioterapia (prática proibida pelo Conselho Federal de Medicina).

Ela faleceu um mês depois ser internada. No prontuário de óbito, a Prevent Senior teria omitido a Covid-19 como causa da morte.

Segundo documetos obtidos pela CPI da Covid e revelados pela TV Globo, o empresário teria financiado o blogueiro Allan do Santos para disseminar informações falsas. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, também estaria envolvido no negócio.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários