Empresário Luciano Hang em depoimento à CPI da Covid
Reprodução
Empresário Luciano Hang em depoimento à CPI da Covid

A CPI da Covid realiza nesta quarta-feira (29) a oitiva do empresário bolsonarista Luciano Hang , acusado de financiar um suposto esquema de propagação de notícias falsas. O bolsonarista também é acusado de integrar o chamado "gabinete paralelo", grupo de apoiadores que aconselharam o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia do novo coronavírus e que promoviam o uso do 'tratamento precoce' - conjunto de remédios sem eficácia comprovada.

Senadores membros da comissão parlamentar de inquérito receberam documentos que mostram a participação de Hang no financiamento a blogs que teriam disseminado fake news. O intermédio entre o empresário e os produtores de conteúdo favoráveis ao governo teria sido realizado pelo deputado federal Eduardo Bolsoanro (PSL-SP).

Durante a oitiva, o relator da CPI, Renan Calheiros, questionou se a mãe de Hang contraiu Covid-19 e se foi tratada com medicamentos ineficazes do "kit covid". Hang confirmou o contágio e o tratamento, mas destacou que, na verdade, lamentou que ela não tenha feito o tratamento "preventivo", que, segundo ele, é diferente de 'precoce'. Veja:

Assista ao vivo

O relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), foi o autor do pedido de convocação de Hang. Ao solicitar a oitiva do empresário bolsonarista, o emedebista alegou que "a presença desse senhor nesta Comissão Parlamentar de Inquérito é mais do que recomendável".

Após ter a data do depoimento agendado pela comissão parlamentar, Luciano Hang divulgou um vídeo em suas redes sociais com algemas nos braços. A atitude seria um adiantamento para o caso dos senadores "não aceitarem aquilo que eu vou falar".

"Toda a quarta-feira vai estar disponível. Eu trabalho 24 horas por dia, então vou ter todo o tempo do mundo e, se por acaso, eles não aceitarem aquilo que eu vou falar, já comprei, para não gastar dinheiro com algema, já comprei uma algema. Vou entregar uma chave para cada senador e que me prendam", alegou Hang.

Leia Também

"Nunca financiei nenhum esquema de fake news", diz Hang. "Não sou negacionista. Não sou e nem nunca fui contra a vacina", completou no início de seu depoimento.

Hang disse ainda "não conheço, não faço parte de gabinete paralelo. Não sou negacionista. Comigo é tudo olho no olho. Todas as minhas posições e opiniões foram postadas nas minhas redes sociais". "Sou vítima de um conjunto de narrativas por não ter medo de falar a verdade", completou.

Nas redes sociais, o deputado federal Paulo Pimenta (PT) destacou uma foto tirada antes do início da sessão de hoje, em que o depoente Luciano Hang aparece sorridente ao lado de senadores governistas; entre eles, Marcos Rogério (DEM-RO) e Luís Carlos Heinze (Progressistas-RS), defensores assíduos do governo Bolsonaro.

Renan Calheiros questiona se Hang já ameaçou funcionários caso Bolsonaro não seja eleito. Hang nega.

Hang debocha de senador na CPI

O empresário Luciano Hang debochou do discurso feito pelo senador Humberto Costa (PT-PE) durante sua oitiva na CPI. Na ocasião, o senador petista usou seu tempo de fala para criticar a atuação de Hang ao longo da pandemia, deixando de lado as perguntas. Ele ainda elogiou o depoente por manter sua postura firme na sessão.


Mas Hang aproveitou a situação para alfinetar o parlamentar. "Fico muito triste do senhor não fazer pergunta pra mim e ficar 10 minutos de narrativas, de mentiras", debochou, logo após se corrigindo para "retirar" o uso da palavra "mentiras" e evitar maiores retaliações. "Eu esperava perguntas inteligentes, e não falsas narrativas, foi muito triste. Desculpa, mas como senador da República o senhor deveria ter perguntas inteligentes pra que a gente pudesse esclarecer ao Brasil alguma coisa sobre a pandemia", acrescentou. Em resposta, Humberto Costa disse que ele deveria pedir desculpas ao Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários