Lula e Bolsonaro
Reprodução/O Globo
Lula e Bolsonaro

A massa de brasileiros que votou em Jair Bolsonaro no segundo turno das eleições de 2018 é, atualmente, uma mistura entre os que defendem o atual governo e os que já migraram e votariam inclusive no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2022.

As informações são da pesquisa Datafolha, divulgada nesta domingo (26) pelo jornal Folha de S. Paulo. 3.667 pessoas em 190 municípios foram ouvidas entre os dias 13 e 15 de setembro.

A pesquisa notou que, enquanto parte dos que elegeram Bolsonaro continuam apoiando o presidente, outros se descolaram do bolsonarismo e se arrependeram do voto.

Dentre os que votaram em Bolsonaro, 22% acham seu governo ruim ou péssimo, 31% regular e 46% bom ou ótimo.  Na população total, a lógica é invertida: 53% acham a gestão ruim ou péssima, 24% regular e 22% boa ou ótima.

57% dos brasileiros nunca confiam nas declarações do presidente  e, dentre os que o apoiaram em 2018, 25% desconfiam sempre do que ele diz. Dentre os que elegeram Bolsonaro, 24% querem que o Congresso analise seu impeachment.

Ex-bolsonaristas são oposição

De acordo com o Datafolha, cerca de um quarto do eleitorado de Bolsonaro em 2018 está agora em terreno de oposição a ele. 23% inclusive declaram voto em Lula, caso haja um segundo turno contra Bolsonaro. Neste cenário, 65% repete o voto e 12% declararam voto em nenhuma das opções, nulo ou branco.

Já no quadro geral, entre todos os entrevistados, 56% votam em Lula, 31% em Bolsonaro e 13% em nenhum dos dois.

O voto a Lula entre ex-bolsonaristas não é exclusividade do segundo turno das eleições. No primeiro turno de 2022, 16% dos que votaram em Bolsonaro em 2018 pretendem votar no petista. 56% permaneceriam com o presidente, 7% votariam em Ciro, 6% em Doria, 3% em Mandetta e 9% branco ou nulo.

26% dos eleitores de Bolsonaro afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. A rejeição neste grupo é maior para Lula (66%), Doria (46%) e Ciro (40%). No caso da população geral, o presidente lidera em rejeição (59%), seguido de Lula (38%) e Doria (37%).

Para 36% dos que votaram em Bolsonaro, o Poder Judiciário ameaça muito a democracia, contra 26% que acham que não ameaça. 21% dos apoiadores do presidente em 2018 consideram que o Poder Executivo ameaça muito a democradia, contra 44% que não veem ameaça alguma.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários