Bolsonaro e Sikêra Jr nos bastidores de programa
Reprodução/redes sociais
Bolsonaro e Sikêra Jr nos bastidores de programa

Pelo menos 32 apresentadores e influenciadores receberam verba pública para veicularem campanhas favoráveis ao governo federal. É o que mostram  planilhas da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) que foram entregues à CPI da Covid no Senado.

Segundo informações da Folha de S. Paulo, as campanhas falam sobre "cuidado precoce", agenda positiva, lançamento da cédula de R$ 200, violência contra mulheres e outras 6 iniciativas.

Na televisão, a publicidade ficou por conta de apresentadores ligados a emissoras mais alinhadas ao governo federal, como a Record TV e a Rede TV. O próprio dono da Rede TV, Marcelo de Carvalho, faturou no mínimo R$ 122 mil, revela a planilha da Secom.

O dono da emissora e apresentador do programa Mega Senha é crítico assíduo das medidas de isolamento social de contenção ao contágio do vírus. Ele também defendeu publicamente o tratamento precoce em mais de uma oportunidade.

Outros apresentadores da emissora também foram beneficiados, como o  bolsonarista Sikêra Júnior, Luciana Gimenez e Luís Ernesto Lacombe.

Você viu?

Na Record, o dinheiro foi pago por meio da empresa Rádio e Televisão Record. O apresentador Cesar Filho, do programa Hoje em Dia, encabeça a lista, tendo recebido  11 cachês que somam R$ 525 mil.

Em seguida, vem Ana Hickmann, com 9 cachês que somaram R$ 411 mil. Durante a campanha do atual presidente em 2018, a modelo publicou fotografia com o então candidato com a legenda: “Hoje eu tive a honra de conhecer o meu presidente”.

Ticiane Pinheiro, Luiz Bacci e Marcos Mion (hoje na Globo) também integram a lista.

A verba foi destinada por meio de subcontratação das empresas PPR Profissionais de Publicidade Reunidos, Calia/Y2 Propaganda e Marketing e Artplan Comunicação. Todas elas têm contratos com o Executivo federal

A Folha de S. Paulo tentou contato com os beneficiados. As assessorias de Marcos Mion, Ticiane Pinheiro e o próprio Luiz Bacci afirmaram que a reportagem deveria procurar a emissora.

Já Cesar Filho e Ana Hickmann não responderam, assim como a emissora. A Secom, a PPR, a Rede TV! e Marcelo de Carvalho também foram procurados, mas não responderam.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários