Cármen Lúcia, ministra Do Supremo Tribunal Federal (STF)
Rosinei Coutinho/SCO/STF
Cármen Lúcia, ministra Do Supremo Tribunal Federal (STF)



A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse que os ataques ao sistema eleitoral brasileiro feitos pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), são "graves". A informação é do portal G1. 

Além disso, segundo a publicação, a magistrada deu prazo de 24 horas para a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestar sobre uma notícia- crime protocolada no último dia 30 de julho, por um grupo de deputados federais do PT.

"Os fatos narrados nestes autos são graves, de interesse exponencial da República. O manifesto interesse público e superior da nação impõem a observância de prioridade no andamento processual do caso", escreveu a ministra em seu despacho.

Notícia-crime 

De acordo com a comunicação feita pelos parlamentares petistas no último dia 30, Bolsonaro deveria ser investigado pela suposta prática de "improbidade administrativa ao utilizar a estrutura da TV Brasil para fazer propaganda eleitoral antecipada ”. Os deputados também pediram a apuração de outros possíveis crimes: divulgação de mentiras, fake news, charlatanismo, ataques a adversários políticos e gravíssimo ataque institucional ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Você viu?


Segundo a ministra do STF,  no último dia 3 de agosto, ela determinou vista à Procuradoria-Geral da República sobre a notícia-crime "E, até a presente data, não houve manifestação", explicou Cármen Lúcia. 






    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários