Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara
O Antagonista
Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), classificou a votação da PEC do voto impresso no plenário da Casa como uma "derrota acachapante do governo". A proposta precisava de pelo menos 308 votos favoráveis para não ser 'enterrada' na Câmara, mas  obteve apenas 229 votos favoráveis e 218 contrários.

"Se considerar que essa tem sido a pauta mais importante para o presidente da República, que potencializou todas as suas energias e mobilizou suas milícias digitais para constranger e ameaçar deputados e deputadas, podemos ver uma derrota acachapante do governo", disse em entrevista ao UOL .

Ramos, porém, diferentemente de A rthur Lira (PP-AL) — que disse que a discussão está encerrada na Câmara —, acredita que Bolsonaro pode tentar voltara pautar o assunto mesmo após o revés. Segundo o vice da Casa, para criar "crises artificiais".

"O presidente Bolsonaro não sabe governar, não sabe oferecer respostas ao desemprego, à fome, ao fechamento de empresas, à desindustrialização do país. Então, ele precisa criar crises artificiais para justificar sua presença na presidência da República", disse Ramos.

"O debate é absolutamente legítimo e milhares de brasileiros se envolveram por boa vontade, mas ele foi sequestrado por uma seita que resolveu utilizar esse debate para confrontar a democracia e os tribunais."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários